Álvaro Pinto Coutinho

From eViterbo
Revision as of 18:35, 19 March 2024 by JAlmeida (talk | contribs) (→‎Citar este artigo)
(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to navigation Jump to search


Álvaro Pinto Coutinho
Nome completo Álvaro Pinto Coutinho
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte 1629
Goa, Índia
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Cargos
Cargo Guarda-mor
Data Início: 14 de novembro de 1623
Fim: 02 de dezembro de 1626
Actividade
Actividade Autoria de texto
Data Início: 14 de novembro de 1623
Local de Actividade Velha Goa, Goa, Índia


Biografia

Dados biográficos

O vice-rei D. Francisco da Gama nomeou-o (em 14 de Novembro de 1623) para guarda-mor da Torre do Tombo de Goa, cargo que acumulava com o de cronista. Em 2 de dezembro de 1626 o mesmo vice-rei nomeava Bartolomeu Galvão para o mesmo cargo, talvez por falecimento de Coutinho, sendo que só em 1629, e com o vice-rei Conde de Linhares se regista que Álvaro Pinto Coutinho estava morto.

Carreira

Poderá ter participado na elaboração da primeira fase (1612) do Lyvro de plantaforma das fortalezas da Índia (códice de São Julião da Barra), tal como (1612) terá sido Manuel Godinho de Erédia.

Outras informações

Obras

Notas


Fontes

Bibliografia

Nazaré, J. M. do Carmo. A Torre do Tombo da Índia e seus guarda-mores. O Oriente Português, V, 1908: 130.

Garcia, José Manuel. Cidades e Fortalezas do Estado da Índia – Séculos XVI e XVII. Lisboa: QuidNovi, 2009. 

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Jorge Correia

Lab2PT, Universidade do Minho

https://orcid.org/0000-0003-1536-2314.



Ana Lopes

Lab2PT, Universidade do Minho

https://orcid.org/0000-0002-3110-3016.

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo