Anfiteatro

From eViterbo
Revision as of 18:10, 14 August 2022 by Alice (talk | contribs) (Substituição de texto - "==Referências bibliográficas==" por "==Notas== <!-- As notas e a bibliografia que foi, de facto, usada para construir a informação. Atenção: Chicago Manual Style 17th edition (note), notas" ou seja ou sistema "shortened notes--> <references />")
(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to navigation Jump to search

AMPHITEATRO ou AMFITEATRO. Deriva-se do Grego Theome, video e amphi, undique ou circum, e vale o mesmo que lugar de onde se vê em todas as partes, ou se quiseres seguir a etimologia de Cassiodoro, quasi in unu juncta duo visoria, id est, dous teatros, juntos hum com o outro. Anfiteatro era um grande edifício, redondo ou ovado com muitas ordens de degraus, onde grande numero de gente se sentava, sem uns impedirem a vista dos outros do que se passava no terreiro. Nele se viam os combates dos Gladiadores, ou esgrimidores e dos homens, com as feras e outros exercícios nos jogos solenes de Roma, e de outras cidades. O anfiteatro de Vespasiano hoje se chama Coliseu. Vid. No seu lugar. Os dois mais antigos anfiteatros que nos ficaram são o de Verona em Itália o de Nîmes em França. Amphitheatrum, i. Neut. Martial. Lib. I. Cousa de Amphitheatro. Amphitheatralis, le. is. Neut. Plin. Hist. O mesmo Plínio diz Amphithatrica charta, o que dá a entender que se pode dizer Amphithatricus, a, um. As Pirâmides do Egipto, os Amphitheatros de Roma. Nobliarch. Portug. Pag. 13. Saía toda Roma ao Amphiteatro. Vieira, Tom. 7. Pag. 9[1].

Notas

  1. Bluteau, Vocabulario Portuguez e latino (Tomo I: Letra A), 354.

Bibliografia e Fontes

  • Bluteau, Rafael. Vocabulario portuguez e latino, aulico, anatomico, architectonico, bellico, botanico, brasilico, comico, critico, chimico, dogmatico, dialectico, dendrologico, ecclesiastico, etymologico, economico, florifero, forense, fructifero... autorizado com exemplos dos melhores escritores portugueses, e latinos... Tomo I: Letra A. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1712.