Florim

From eViterbo
Revision as of 11:21, 16 August 2022 by Alice (talk | contribs) (Substituição de texto - "==Notas== <!-- As notas e a bibliografia que foi, de facto, usada para construir a informação. Atenção: Chicago Manual Style 17th edition (note), notas" ou seja ou sistema "shortened notes--> <references />" por "==Notas== <!-- As notas e a bibliografia que foi, de facto, usada para construir a informação. Atenção: Chicago Manual Style 17th edition (note), notas" ou seja ou sistema "shortened notes--> <references />")
(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to navigation Jump to search

Moeda de prata e ouro com diverso valor conforme as terras onde corre. Os primeiros florins de ouro foram batidos na cidade de Florença, no ano de 1252. Tinham estes florins de uma banda uma flor de Lis e de outra a imagem de S. João Baptista. Em várias terras do norte as contas se fazem por florins. Uma pataca de sete tostões e meio do nosso dinheiro faz dois florins e meio de Amesterdão e um florim faz vinte soldos faz quinte réis da nossa moeda. O P. Lacerda sobre estes versos de Vergílio. Dic quibus in terris inscripti nomina Regum/ Nascantur flores diz que o florim fora chamado assim de Lucílio Aquílio Floro que mandara cunhar moeda com a cabeça de Augusto numa banda e da outra uma flor acompanhada destas palavras Lucius Aquilius Florus III. Vir. A poucos agrada esta etimologia. Chamam comummumente ao florim florenus, i. Masc. João Hoscénio no cap. 20 das vidas dos bispos de Liège chama ao florim de ouro Aureum numisma Florentinum[1].

Notas

  1. Bluteau, Vocabulario Portuguez e latino (Tomo IV: F), 145.

Bibliografia e Fontes

  • Bluteau, Rafael. Vocabulario portuguez e latino, aulico, anatomico, architectonico, bellico, botanico, brasilico, comico, critico, chimico, dogmatico, dialectico, dendrologico, ecclesiastico, etymologico, economico, florifero, forense, fructifero... autorizado com exemplos dos melhores escritores portugueses, e latinos... Tomo IV: Letra F-J. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1713.