Francisco Dias (3)

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Francisco Dias
Nome completo Francisco Dias
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Residência
Residência Portugal
Data Início: 1538
Fim: 1577

Residência Brasil
Data Início: 24 de dezembro de 1577

Residência Rio de Janeiro, Brasil
Data Início: 1609
Fim: 1633
Formação
Data Início: 28 de maio de 1562
Fim: 1583
Cargos
Data Início: 1564
Actividade
Data Início: 1570
Fim: 1575

Actividade Desenho de arquitectura
Data Início: 1575
Fim: 1577

Actividade Desenho de arquitectura
Data Início: 1580
Fim: 1584
Local de Actividade Bahia, Brasil

Actividade Desenho de arquitectura
Data Início: 1585
Fim: 1585
Local de Actividade Rio de Janeiro, Brasil

Actividade Desenho de arquitectura
Data Início: 1584
Fim: 1584
Local de Actividade Pernambuco, Brasil


Biografia

Dados biográficos

Francisco Dias nasceu por volta de 1538, no termo de Alenquer, provavelmente na Aldeia Galega da Merceana[1]. A 28 de Maio de 1562, foi admitido na Companhia de Jesus[2] e tomou os primeiros votos em 1564. Terminou os seus estudos em 1583, formando-se “coadjuntor temporalis[3]. Residiu no Colégio Jesuíta do Rio de Janeiro desde 1609, tendo falecimento nesse local em 1633[4].

Carreira

Desconhece-se o local onde Francisco Dias começou a trabalhar, mas sabe-se que, em 1564, passou a residir em Almeirim, com o título de mestre de obras. Posteriormente, em 1570, esteve em Lisboa, onde supervisionou a construção da Igreja de São Roque, da autoria do arquitecto régio Afonso Álvares[5]. A igreja abriu ao culto em 1573, mas as obras prosseguiram ainda nos dois anos seguintes sob a supervisão de Francisco Dias. Dois anos depois, foi enviado para a Ilha Terceira, nos Açores, para fazer o projecto da igreja e do colégio jesuítas[6].

Em 1577, o Geral jesuíta Everard Mercuriano escreveu ao Provincial Simão Rodrigues no sentido de enviar Francisco Dias para o Brasil, conforme pedido dos jesuítas dessa província, que requeriam um arquitecto para os projectos dos colégios de Salvador da Baía, Rio de Janeiro e Olinda. Na sua resposta, Simão Rodrigues fez notar a Mercuriano a necessidade de Francisco Dias ficar em Portugal a coordenar o estaleiro da Igreja de São Roque em Lisboa, por “depende[r] deste hermano que años ha trahe todo entre manos, y sabe lo particular de cada cosa, y como todo se ha de hazer, y partiendo para el Brasil este año (...), sera notable falta[7]. Apesar do argumento, Francisco Dias embarcou para o Brasil em 1577, acompanhando o Procurador Gregório Serrão. Chegou a São Salvador da Baía a 24 de Dezembro desse ano, não tendo mais retornado a Portugal[8]. Dois anos depois, os jesuítas da Província de Portugal reclamaram o seu regresso, argumentando que era necessário para acompanhar as obras em curso[9].

De acordo com a incumbência que levava aquando do seu embarque para o Brasil, Francisco Dias elaborou o projecto da Igreja e do Colégio de Salvador da Baía, cuja imagem esta no Archivum Romanum Societatis Iesu[10]. Acerca das obras desse colégio, o visitador Cristóvão de Gouveia escrevia, em 1589, que não deveriam ser efectuadas alterações à planta aprovada em Roma: “não se devia admitir dispensa nos traçados, que se fizeram com muito cuidado e acordo do Irmão Francisco Dias, Arquitecto"[11]. Em consequência das batalhas luso-holandesas de 1624-1625, a igreja e colégio jesuítas ficaram muito danificados, sendo a igreja reconstruída com uma outra escala na segunda metade do século XVII[12].

De acordo com Serafim Leite, o projecto da nova Igreja e Colégio Jesuíta do Rio de Janeiro foi elaborado por Francisco Dias - enquanto esteve na cidade em 1585, a acompanhar o Visitador Cristóvão de Gouveia -, tendo sido concluída três anos mais tarde[13]. Ainda segundo Serafim Leite, um ano antes, Francisco Dias havia chegado a Olinda e realizado o projecto da nova igreja e colégio, sendo que, em 1590, as obras da igreja já estavam avançadas[14]. Dois anos mais tarde, dava-se conclusão da obra, apresentando a Igreja uma “traça de São Roque”, faltando apenas ser caiada[15]. De acordo com Paulo Santos, esta obra resultou de uma adaptação do projecto da Igreja e Colégio Jesuítas do Rio de Janeiro[16].

Em 1585, Francisco Dias foi requisitado para fazer o projecto da igreja e colégio de Santos, capitania de São Vicente[17]. É provável que Francisco Dias tenha estado envolvido em mais obras para a Companhia de Jesus no Brasil, tendo em conta o longo período que viveu nesse território e a falta de arquitectos, durante esse mesmo período (1577-1633). Na opinião de Serafim Leite, “foi o Arquitecto e revisor das obras dos colégio e igrejas jesuítas de toda a Província” do Brasil[18].

Para além de “arquitectus”, Francisco Dias foi também “gobernator naviggi”, tendo sido piloto do principal navio dos jesuítas no Brasil[19]. No catálogo jesuíta da Província do Brasil, datado de 1589, pode ler-se: “Francisco Dias entende das traças dos colégios e navio[20]. Em 1609, fixou residência no Colégio do Rio de Janeiro, onde ficou a cargo “da carpintaria”, função que mantinha em 1621[21].

Outras informações

Obras

Mestre de Obras da Igreja de São Roque, em Lisboa (ca. 1570-75).

Autor do projecto da Igreja e Colégio jesuíta da Ilha Terceira (1575-77).

Autor do projecto da Igreja e Colégio jesuíta de Salvador da Baía (ca. 1580-84).

Autor do projecto da Igreja e Colégio do Rio de Janeiro (ca. 1580-84).

Autor do projecto da Igreja e Colégio de Olinda (ca. 1580-85).

Autor do projecto da Igreja e Colégio de Santos (ca. 1580-84).

Notas

  1. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5 (1), fl. 98, citado em Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 158.
  2. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5 (1), fl. 132v., citado em Leite, 159.
  3. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5 (1), fl. 98, citado em Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 159.
  4. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5 (1), fl. 122, citado em Leite, “Francisco Dias, Jesuíta Português”, 264.
  5. Leite, “Francisco Dias, Jesuíta Português", 257.
  6. Rodrigues, História da Companhia de Jesus, 2:67.
  7. Archivum Romanum Societatis Iesu, Lusitanae 68, fl. 12, citado em Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 159.
  8. Cardim, Tratados da Terra e Gente do Brasil, 383; Leite, História da Companhia de Jesus, 1:568.
  9. O Ir. Francisco Dias enviará V. R.ª à Província de Portugal, como se lhe escreve, pois terá feito o que se pretendia dele no Brasil que eram as traças dos três Colégios. E a sua presença é muito necessária para as obras do Reino”. Archivum Romanum Societatis Iesu, Congregaciones 93, fl. 210, citado em Leite, “Francisco Dias, Jesuíta Português", 265.
  10. Leite, História da Companhia de Jesus, 5:120.
  11. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 2, fls. 148-148v.; Leite, “Novos Documentos sobre Francisco Dias Mestre de obras de S. Roque em Lisboa", 357.
  12. Leite, História da Companhia de Jesus, 1:115; Leite, “Francisco Dias, Jesuíta Português", 261.
  13. Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 159; Leite, História da Companhia de Jesus, 1:391-393.
  14. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brailiae 15 (1), fls. 366v.-367, citado em Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 160; Vasconcellos, Chronica da Companhia de Jesu, 128.
  15. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 15 (1), fls. 381, 428.
  16. Santos, “Contribuição ao Estudo da Arquitectura da Companhia", 515-569.
  17. Archivum Romanum Societatis Iesu, Lusitanae 69, fls. 133-133v..
  18. Leite, Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil, 159.
  19. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 98.
  20. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 32. Catálogo de los Padres e Hermanos…. Anno de [15]89.
  21. Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 122-125. Catálogo dos Padres e Irmãos…. Anno de [1]621.

Fontes

Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 32. Catálogo de los Padres e Hermanos…. Anno de [15]89.

Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 98.

Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 5, fl. 122-125. Catálogo dos Padres e Irmãos…. Anno de [1]621.

Archivum Romanum Societatis Iesu, Brasiliae 15 (1), fls. 381

Archivum Romanum Societatis Iesu, Lusitanae 69, fls. 133-133v..

Bibliografia

Cardim, Fernão. Tratados da Terra e Gente do Brasil: 1583-1570. Rio de Janeiro: J. Leite & Cia, 1925.

Leite, Serafim. Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil: 1549-1760. Lisboa/Rio de Janeiro: Edições Brotéria/Livros de Portugal, 1953.

Leite, Serafim. “Francisco Dias, Jesuíta Português. Arquitecto e Piloto do Brasil (1538-1633)”. Revista Brotéria 2, no. 4 (Out 1950).

Leite, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Vol. 1. Lisboa/Rio de Janeiro: Portugália/Civilização Brasileira, 1938.

Leite, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Vol. 5. Lisboa/Rio de Janeiro: Portugália/Civilização Brasileira, 1945.

Leite, Serafim. “Novos Documentos sobre Francisco Dias Mestre de obras de S. Roque em Lisboa”. Sep. Archivum Historicum Societatis Iesu 22, (1953).

Rodrigues, Francisco. História da Companhia de Jesus na Assistência de Portugal. Vol. 2. Porto:  Apostolado da Imprensa, 1938.

Santos, Paulo F. “Contribuição ao Estudo da Arquitectura da Companhia de Jesus em Portugal e no Brasil”. Em Actas do V Colóquio Internacional de Estudos Luso-Brasileiros, 4:515-569. Coimbra: [s. ed.], 1966.

Vasconcellos, Simão. Chronica da Companhia de Jesu do Estado do Brasil. Lisboa: A. J. Fernandes Lopes, [1º ed.1663] 1865.

Autor(es) do artigo

Cláudia C. Gomes Duarte

CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa

https://orcid.org/0000-0003-1554-859X

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/hxaa-6tov

Citar este artigo

Duarte, Cláudia C. Gomes. "Francisco Dias (3)", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 12/07/2023). Consultado a 20 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Francisco_Dias_(3). DOI: https://doi.org/10.34619/hxaa-6tov