Afonso Botelho de Sampaio

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Afonso Botelho de Sampaio
Nome completo Afonso Botelho de Sampaio de Sousa
Outras Grafias Afonso Botelho de San Paio e Sousa, Afonso Botelho de San Payo e Sousa
Pai Afonso Botelho de Sampaio de Sousa
Mãe Maria Madalena de Vasconcellos Castelo-Branco
Cônjuge Quitéria Liberata Sotto-Mayor De Azevedo Cão
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 1728
Vila Real, Portugal
Morte 1793
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Residência
Residência Vila Real, Portugal
Data Início: 1728
Fim: 1765

Residência São Paulo, Brasil
Data Início: 1765
Fim: 1785

Residência Portugal
Data Início: 1785
Fim: 1793
Postos
Posto Mestre de campo
Data Fim: 1765

Posto Brigadeiro
Data Início: 1791
Cargos
Cargo valor desconhecido
Data Início: 1765
Fim: 1775
Actividade
Actividade Expedição
Data Início: 05 de dezembro de 1768
Fim: 09 de novembro de 1711
Local de Actividade Brasil

Actividade Reparação
Data Início: 1769
Local de Actividade Paraná, Brasil

Actividade Desenho urbano
Local de Actividade Paraná, Brasil


Biografia

Dados biográficos

Afonso Botelho de Sampaio de Sousa nasceu em 1728, natural de Casa de Passos, em Vila Real. Era filho de Maria Madalena de Vasconcellos Castelo-Branco e Afonso Botelho de Sampaio de Sousa, tendo a família laços familiares com os Morgados de Mateus. Casou com Quitéria Liberata Sotto-Mayor de Azevedo Cão. Faleceu em 1793 em local desconhecido.

Carreira

Afonso Sampaio de Sousa desenvolveu carreira militar, desconhecendo-se, até ao momento, o local da sua formação militar. Ocupou o lugar de mestre de campo do Terço de Auxiliares de Vila Real, e defendeu durante a invasão espanhola de 1762, levada a cabo durante a Guerra dos Sete Anos (1756-1763).

Apesar de se desconhecer a data em que Afonso Sampaio de Sousa se deslocou para o território brasileiro, apura-se que serviu entre 1765 a 1775, no posto de ajudante de ordens do governador da capitania de São Paulo, D. Luís António de Sousa Botelho Mourão, de quem era primo. Nesse período, em particular, entre os anos de 1768 e 1772, Afonso Sampaio de Sousa empreendeu relevantes expedições com o fim de realizar o reconhecimento do território, almejando garantir a posse, a exploração e o decorrente povoamento do interior sul do Brasil. Os relatos das viagens, por si redigidos, permitem reconhecer as expedições nos seus aspetos logísticos, políticos e económicos.

Foi possível determinar a sua participação em sete expedições oficiais na exploração de sertões e bacias hidrográficas[1]. A saber, em 5 de dezembro de 1768, comandada por Domingos Lopes Cascaes, tendo partido do Rio do Registro, em Iguaçu; em 20 de junho de 1769, comandada por Estevão Ribeiro Bayão, tendo partido do Porto de S. Bento, em Tibagi; em 12 de agosto de 1769, comandada por Francisco Nunes, posteriormente substituído por Francisco Lopes da Silveira, tendo partido do porto de S. Bento, em Tibagi; em 28 de agosto de 1769, comandada por Bruno da Costa Filgueira, tendo partido do Rio do Registro, em Iguaçu; em 16 de outubro de 1769, comandada por Antônio da Silveira Peixoto, tendo partido do Porto de Nossa Senhora da Conceição do Caiacanga, no Registro; em 26 de julho de 1770, comandada por Francisco Martins Lustosa, em que se visou explorar os campos de Guarapuava, partindo do Carrapato na serra de São Luís do Purunã; e, em 9 de novembro de 1711, comandada por Afonso Botelho, nos campos de Guarapuava.

Além destas expedições, Afonso Botelho foi figura chave em assuntos de urbanização e fortificação na capitania de São Paulo, sendo exemplos as obras da Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Parananguá, datadas de 1769, ou a fundação de São José de Ararapira, na foz do rio Ribeira.

Terá regressado a Portugal antes de 1785, data na qual solicitou a atribuição de patente de brigadeiro, pelos serviços prestados à coroa portuguesa, a qual foi atribuída em 1791.

Notas

  1. João, “Afonso Botelho e os Sertões do Tibagi”, 89.

Fontes

Fundação Biblioteca Nacional - Brasil, Manuscritos, I-30,18, 003 n. 007. Afonso Botelho de Sampaio de Sousa. Carta ao governador da Capitania de São Paulo, Luís Antônio de Sousa Botelho Mourão, informando o estágio em que se encontravam as obras da fortaleza e pedindo mais dinheiro para pagamentos e obras.

Fundação Biblioteca Nacional - Brasil, Manuscritos, I-30,19, 006 n. 006. Afonso Botelho de Sampaio de Sousa. Carta ao governador da Capitania de São Paulo Luís Antônio de Sousa Botelho Mourão, relatando as obras que se faziam necessárias para a reforma das fortalezas daquela praça.

Fundação Biblioteca Nacional - Brasil, Manuscritos, I-30,19, 006 n. 010. Afonso Botelho de Sampaio de Sousa, Carta ao governador da Capitania de São Paulo Luís Antônio de Sousa Botelho Mourão, relatando medidas tomadas para limpeza e reforma de cada uma das fortalezas daquela praça.

Fundação Biblioteca Nacional - Brasil, Manuscritos, I-30, 25, 003. Afonso Botelho de Sampaio de Sousa, Ordens de Afonso Botelho de Sampaio e Souza a Estevão Ribeiro Barão, capitão de auxiliares da freguesia de São José, referentes à saída da expedição de que era comandante, para exploração do Sertão do rio Tibaji.

Bibliografia

Bellotto, Heloísa Liberalli. Autoridade e conflito no Brasil colonial: o governo do Morgado de Mateus em São Paulo (1765-1775). São Paulo: Conselho estadual de Artes e Ciências Humanas, 1979.

Belluzzo, Ana Maria de Moraes e Valéria Piccoli. “Desenho e conquista territorial”. Em Do contato ao confronto: a conquista de Guarapuava no século XVIII. São Paulo: BNP Paribas, 2003.

Bueno, Beatriz Piccolotto Siqueira. Desenho & desígnio: o Brasil dos engenheiros militares (1500-1822). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo (Fapesp), 2011.

Carneiro, David. Duas conferências sobre a vida e a obra de Afonso Botelho de Sampaio e Souza. Curitiba: Papelaria Universal, 1950.

Derntl, Maria. “Uma oficina de novidades: a implantação de núcleos urbanos na capitania de São Paulo, 1765-1775”. Anais do Museu Paulista História e Cultura Material 20, (2012): 109-131.

Garcez Filho, João Moreira. “Notas biográficas sobre Afonso Botelho de Sampaio e Souza”. Em Do Contato ao confronto: A conquista de Guarapuava no Século XVIII. São Paulo: BNP Paribas, 2003.

João, Maria Thereza David. “Afonso Botelho e os Sertões do Tibagi”. Revista Vernáculo 11-12-13, (2004): 87-94.

"Souza, Afonso Botelho de Sampaio e". Anais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, 76 (1962).

Ligações Externas

Fundação Biblioteca Nacional. "Biblioteca Nacional Digital Brasil".

Autor(es) do artigo

João Cabeleira

Lab2PT - Universidade do Minho

http://orcid.org/0000-0002-6800-8557

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/ixth-gzki

Citar este artigo

Cabeleira, João. "Afonso Botelho de Sampaio", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 11/07/2023). Consultado a 21 de junho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Afonso_Botelho_de_Sampaio. DOI: https://doi.org/10.34619/ixth-gzki