Bragal

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search

Definição

É um pano grosso, atravessado com muitos cordões. Tece-se na Beira ou Trás-os-Montes. A gente rústica faz dele toalhas de mesa e guardanapos e com ele costumam as amassaduras cobrir no tabuleiro por baixo e por cima a laça feita em pão[1]. Pano grosso atravessado de muitos cordões que se tece na Beira e em Trás-os-Montes ; pano de que se fazem toalhas de mesa e guardanapos que cobre a amassadura da farinha para levedar ; conjunto de roupa branca de uma casa ; pano de linho grosso que antigamente era utilizado para fazer as ceroulas, também designadas de bragas ; outrora, preço de determinada quantidade de pano de linho grosso que correspondia a uma unidade em várias transacções ; medida. (Cf. Glossário Portas Adentro).

Pano grosseiro utilizado na confeção de bragas (calças interiores, largas e curtas). Tecido grosso, com cordões atravessados de que se faziam toalhas destinadas a cobrir a massa do pão durante a levedura. Unidade monetária ou preço de uma dada quantidade de tecido de bragal, utilizada como moeda de troca em certas transações comerciais, equivalente a sete ou oito varas. Enxoval. Conjunto da roupa branca de uma casa[2].

- Outra(s) grafia(s): bragel.

- Sinónimo(s): linho bragal.

Referências documentais

Outras informações

Notas

  1. Bluteau, Vocabulário Português e Latino, letra B: 178.
  2. Costa, "Glossário", 140.

Fontes

Bibliografia

Bluteau, Rafael. Vocabulário Português e Latino… Vol. 2. Coimbra: Colégio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728.

Dias, Aida Fernanda. Cancioneiro Geral de Garcia de Resende. Vol. 6. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2003.

Manuela Pinto da Costa, "Glossário de termos têxteis e afins". Revista da Faculdade de Letras. Ciências e técnicas do património 3, I. ª s. (2004): 137-161.

Monteiro, João Gouveia. Armeiros e Armazéns nos finais da Idade Média. Viseu: Palimage, 2001.

Moraes, António de. Dicionário da Língua Portuguesa, 2.ª ed. Vol. 1. Lisboa: Typographia Lacerdina, 1813.

Moraes, António de. Novo Dicionário Compacto de Língua Portuguesa. Vol. 1. Mem Martins: Horizonte, 1980.

Viterbo, Fr. Joaquim de Santa Rosa de. Elucidário das palavras, termos e frases que em Portugal antigamente se usaram e que hoje regularmente se ignoram, 2.ª ed. Vol. 2. Porto: Civilização, 1983-1984.

Ligações Externas

Glossário Portas Adentro, ICS-uMinho

Autor(es) do artigo

  • André Filipe Neto e Maria Teresa Oliveira (bolseiros de iniciação à investigação)

Projeto eViterbo, CHAM - Centro de Humanidades NOVA FCSH, 2017-18;

  • Andreia Fontenete Louro (bolseira de iniciação à investigação)

Projeto DRESS, 2019;

  • Inês Amaral Canhão (bolseira de iniciação à investigação)

Projeto Verão com Ciência, 2022;

Financiamento

VESTE _ Vestir a corte: traje, género e identidade(s), Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito da Norma Transitória - DL 57/2016/CP1453/CT0069.

DRESS _ Desenhar a moda das fontes quinhentistas, Fundação Calouste Gulbenkian, Projetos de Investigação em Língua e Cultura Portuguesa 2018, Ref.: 227751.

Verão com Ciência FCT, 2022.

DOI

Citar este artigo