Carta de marear

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search

É uma pintura ao natural do sítio e feição da terra e água. É universal ou particular. A carta de marear universal mostra todo o globo da terra e água, a carta de marear particular mostra uma só parte. Vid. Carta. Há três espécies de carta de marear. Umas se descrevem por rumos e distâncias, sem se atenderem às latitudes nem longitudes da terra, estas só servem para navegar junto da costa ou em mares em que por pouco tempo se perde de vista a terra. Outras, que se chamam comuas ou planas ou de graus iguais, têm os meridianos e paralelos equidistantes, fazem-se por derrotas e alturas, deste modo são as cartas portuguesas ordinárias, de que o infante D. Henrique foi inventor. A terceira espécie de cartas de marear é daquelas nas quais lançando os meridianos entre si paralelos, como também entre si paralelas as linhas de Leste-Oeste, se reparte a equinocial em graus iguais, mas o meridiano que na carta se costuma graduar, se reparte em graus desiguais, cada vez maiores[1].

Notas

  1. Bluteau, Vocabulario Portuguez e latino (Tomo V: M), 328.

Bibliografia e Fontes

  • Bluteau, Rafael. Vocabulario portuguez e latino, aulico, anatomico, architectonico, bellico, botanico, brasilico, comico, critico, chimico, dogmatico, dialectico, dendrologico, ecclesiastico, etymologico, economico, florifero, forense, fructifero... autorizado com exemplos dos melhores escritores portugueses, e latinos... Tomo V: Letra K-NYS. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1716.