Diogo Boitaca

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Diogo Boitaca
Nome completo Diogo Boitaca
Outras Grafias EQUAL
Nascimento 1492
Morte 06 de dezembro de 1527

Biografia

Dados biográficos

Geralmente conhecido por Boutaca. Sousa Viterbo regista o debate sobre a origem: francês, italiano (segundo a Chronica Serafica) chamado por D. João II, ou de Boutaca, perto da Batalha, onde trabalhou.

Em 1512 está casado com Isabel Henriques.

"No reinado de D. João III apparecem dois individuos do appellido Boutada, que dizem filhos do laborioso architecto. Um d'elles chamava-se Jeronymo Butaca, era moço de camara do infante D. Luiz (...) O outro supposto filho de Boutaca chama-se Duarte e foi noemado em 1550 juiz dos orphãos da Batalha, a pedido de Miguel da Arruda".

Sousa Viterbo não confia no parentesco.

Sousa Viterbo regista outros Boutacas que aparecem no final do século XVI. Em Évora, D. Magdnaela Butaca, nora de Antão Butaca e Filippe Butaca, nomeado juiz de fora de Torres Vedras a 03 de março de 1603[1].

Jerónimo é nomeado juiz da alfândega de Diu em 1564, tendo já prestado serviços em Mazagão. Teve uma filha chamada Jerónima Butaca casada com Filippe Butaca[2].

Carreira

Em 1514 dirige as obras da Batalha.

Em 1514 assina Mestre Boitaca nos "autos das medições das fortalezas de África" com Bastião Luís.

Recebe tença anual, pelos trabalhos no Convento de Jesus de Setúbal a partir de 1499, com cláusula de casamento que não se realizara "e a cujo exacto cumprimento procuraria esquivar-se".

"Ha quem diga que elle fora o primitivo architecto da egreja e mosteiro de Belem, mas não descobrimos prova irrefutavel que o demonstre. O que se sabe é que elle é quem dirigia a obra por 1514".

Trabalha nas praças de África no início do século XVI.

Participa nas obras de Santa Cruz de Coimbra em 1508.

Em 1510 é encarregue de examinar com Mestre Mateus obras em Coimbra: "escolha do logar para os açougues, corregimento da ponte e cerramento dos boqueirões".

Em 1511 é-lhe confiada a obra dos açougues.

Em 1514 segue com Sebastião Luís para avaliar as obras nalgumas praças de África, existindo "nitida e minuciosamente redigido" o caderno do inquérito sobre as obras de Francisco Danzillo.

Trabalha na fortificação de Mamora.

Segundo a Memoria de São Luís sobre a Batalha, Boitaca não estaria já em actividade em 1528[1].

Sousa Viterbo regista um documento que refere uma torre do Restelo Velho em cuja construção Boutaca teria estado envolvido[2].

Trabalha em Arzila em 1510[3].

Outras informações

Obras

Referências bibliográficas

  1. 1,0 1,1 Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol I, 120-131.
  2. 2,0 2,1 Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol I, 523-525.
  3. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III, 256-257.

Bibliografia e Fontes

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

DOI

Citar este artigo