Eduardo Ayala dos Prazeres

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Eduardo Ayala dos Prazeres
Nome completo Eduardo Ayala dos Prazeres
Outras Grafias Eduardo Ayala dos Praseres, Eduardo Ayála dos Praseres
Pai Francisco António dos Prazeres
Mãe Joana Carolina de Sequeira Henriques Ayala
Cônjuge Isabel Máxima Ayala dos Prazeres
Filho(s) Eduarda Ayala dos Prazeres, Grace Mary Hewson Ayala dos Prazeres, Eduardo Ayala dos Prazeres, Eduarda Hewson Ayala dos Prazeres, Ana Hewson Ayala dos Prazeres, Jenny Ayala dos Prazeres, Maria Antoinette Hewson Ayala dos Prazeres, Isabel Hewson Ayala dos Prazeres
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 2 outubro 1839
Castanheira do Ribatejo, Vila Franca de Xira
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Residência
Residência Luanda, Luanda, Angola
Data Início: 1891

Residência Angola
Data Início: 14 de outubro de 1896
Fim: 04 de setembro de 1901

Residência Portugal
Data Início: 1901
Fim: 1902
Cargos
Cargo Presidente
Data Início: maio de 1889
Fim: 1891

Cargo Chefe de secção
Data Início: 14 de outubro de 1896
Fim: 04 de setembro de 1901
Actividade
Actividade Autoria de texto
Data Início: 1872
Fim: 1872
Local de Actividade Luanda, Luanda, Angola

Actividade Autoria de texto
Data Início: 1892
Fim: 1892
Local de Actividade Luanda, Luanda, Angola


Biografia

Dados biográficos

Eduardo Ayala dos Prazeres nasceu a 2 de outubro de 1839, na freguesia de Castanheira do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira, distrito de Lisboa[1][2]. Desconhece-se até ao momento a data e o local do seu falecimento. Foi batizado em 24 de dezembro de 1839, tendo como padrinhos António Elias Rodrigues dos Santos Silva e Dona Maria Eduarda Antónia da Conceição[1]. Era filho legítimo de Francisco António dos Prazeres e de Dona Joana Carolina de Sequeira Henriques de Ayala[3]. Era neto paterno de António dos Prazeres e Dona Inês dos Prazeres e materno de Policarpo José Dias Menezes, também conhecido por Policarpo José de Oliveira[3], e de Dona Madalena Moita de Sequeira Henriques de Ayala[1].

A 15 de junho de 1861, em São Vicente de Fora, Lisboa, contraiu matrimónio em primeiras núpcias com Dona Isabel Máxima Ayala dos Prazeres - filha legítima de António Ribeiro Guimarães e de Dona Ana Guimarães, neta paterna de Francisco José Rodrigues e de Dona Engrácia Maria Rodrigues e materna de João Heweson e de Ana Heweson - ou Hewison. Foi batizada em São Vicente de Fora[3], mas nasceu em Luanda, Angola[4]. O seu nome também aparece descrito como Isabel Heweson[5] e Elizabeth Antoinette Heweson[4].

À data do casamento, os nubentes residiam na Rua dos Fanqueiros - em São Nicolau, Lisboa -, no nº 184[3]. Deste casamento nasceram oito filhos: um rapaz e sete raparigas[2]. A saber, Eduarda Ayala dos Prazeres; Grace Mary Hewson Ayala dos Prazeres, nascida a 28 de Julho de 1868; Eduardo Ayala dos Prazeres, nascido cerca de 1878; Eduarda Hewson Ayala dos Prazeres; Ana Hewson Ayala dos Prazeres, nascida a 5 de Abril de 1875; Jenny Ayala dos Prazeres; Maria Antoinette Hewson Ayala dos Prazeres; e Isabel Hewson Ayala dos Prazeres[4].

Carreira

Desconhece-se quando Eduardo Ayala dos Prazeres começou a trabalhar como funcionário das obras públicas, no entanto, em Outubro de 1878, foi-lhe emitida uma guia de pagamento no valor de 1$000 pela Direcção Geral do Ultramar[6].

Em 1883, o, então, Governador Geral da Província de Angola, Francisco Joaquim Ferreira do Amaral, mandatou Eduardo Ayala dos Prazeres como responsável pelo fornecimento de capim (argamassa) que anteriormente era garantido pela extinta repartição do Caminho-de-Ferro de Angola[7].

Ayala fez parte de um primeiro projeto de criação de uma companhia com vista a efectuar o abastecimento de água em Luanda, que, porém, não chegou a concretizar-se[8]. Em Maio de 1889 ocupou a presidência da Câmara Municipal de Luanda[9]. Nessa cidade desempenhou funções de vereador[10] a partir de Abril de 1891, mantendo-se no cargo, pelo menos, até Abril de 1893[11]. Assim, na vigência desse cargo foi responsável pela publicação, em 1892, d' A Pauta das alfândegas de Loanda, Benguela e Moçâmedes[12]. Já anteriormente havia sido responsável pelo Projecto de pauta para as alfandegas de Luanda, Benguella e Massamedes: acompanhado dos pareceres de alguns membros da associação commercial de Luanda sobre o assumpto, publicado em 1872[13].

A 14 de Outubro de 1896, com 57 anos, tomou posse no cargo de chefe da Secção de Contabilidade e Pagadoria de Angola, conforme a portaria nº 38 do Comissário Régio, datada de 9 de Outubro de 1896[14]. No desempenho destas funções, tirou apenas uma licença de 15 dias, prescrita pela Junta de Saúde, conforme a portaria nº 150 de 10 de Março de 1899[15]. A 12 de Novembro de 1900, pediu licença graciosa de seis meses para ser gozada na metrópole, que foi aprovada a 31 de Dezembro de 1900[16]. Consequentemente seguiu para Lisboa a 4 de Setembro de 1901, a bordo do vapor Casengo[17], desocupando o cargo onde desempenhava funções.

Finda a licença, a 16 de Agosto de 1902 foi colocado na 7ª Repartição de Compatibilidade de Angola[18]. A 26 de Março de 1904, pediu um mês de licença, conforme avaliação de um médico privado de 23 de Março de 1904. No seguimento, a 29 de Março de 1904, o chefe da Repartição responsável exigiu que fosse presente à Junta de Saúde do Ultramar[19].

A 15 de Março de 1906, estava em Lisboa, reportando que esteve 33 anos em África e que, devido à idade avançada, considerava pertinente regressar definitivamente à metrópole. Neste contexto, pedia um aumento do vencimento auferido e a transferência para os quadros da metrópole, referindo o facto de ser comendador[20].

Outras informações

Eduardo Ayala dos Prazeres foi também proprietário e comerciante em Angola. Em 1888, foi agraciado com o grau de Comendador da Real Ordem Militar de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa por proposta do Ministério dos Negócios da Marinha e Ultramar[21], pelos serviços prestados na Câmara Municipal de Luanda. Era, então, Governador Geral da Província de Angola Guilherme Capello, com mandato entre 1886 e 1892[14][20].

Notas

  1. 1,0 1,1 1,2 Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Castanheira do Ribatejo, Baptismos 1825-1854, 119-119v..
  2. 2,0 2,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Prareres - Nota Biográfica".
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de São Vicente de Fora, Casamentos 1860-1867, 44-46.
  4. 4,0 4,1 4,2 Geneall, "Eduardo Ayala dos Prazeres". Visualizado em 17 Junho, 2022.
  5. Instituto Português de Heráldica, Anuário da Nobreza de Portugal III, 1:93.
  6. "Relação das guias passadas para pagamento de emolumentos", Diário do Governo, no. 223, 3 de Outubro de 1878, 2417.
  7. "Portaria do Governador Geral de Angola, de 31 de dezembro de 1883", publicado em Collecção da Legislação Novissima do Ultramar - 1883-1884, 12:293-295.
  8. Relatório do decreto de 12 de Dezembro de 1885, Diário do Governo, no. 291, 24 de Dezembro de 1885, [3545].
  9. "Camara Municipal de Loanda. Edital", Diário do Governo, no. 101, 6 de maio de 1889, 1036.
  10. "Contrato para a illuminação a gaz da cidade de Loanda, a que se refere este decreto", publicado em Collecção da Legislação Novissima do Ultramar augmentada com um repertorio alphabetico - 1893, 21:44.
  11. "Acta da sessão ordinária da camara municipal de Loanda do dia de 8 de Abril de 1891", Diário do Governo, no. 51, 4 de março de 1893, 607-608.
  12. Prazeres, A pauta das alfândegas de Loanda, Benguella e Mossamedes.
  13. Prazeres, Projecto de pauta para as alfandegas de Luanda, Benguella e Massamedes.
  14. 14,0 14,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Informação referida ao anno de 1896".
  15. Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Comunica que segue para o reino".
  16. Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofícios de novembro de 1900".
  17. Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Guia nº 394".
  18. Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofício".
  19. Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofícios de 23, 26 e 30 de Março de 1904".
  20. 20,0 20,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofício de 15 de março de 1906".
  21. "Agraciados com mercês honorífica", Diário do Governo, no. 265, 19 de novembro de 1888, [2557].

Fontes

"Acta da sessão ordinária da camara municipal de Loanda do dia de 8 de Abril de 1891", Diário do Governo, no. 51, 4 de março de 1893, 607-608.

"Agraciados com mercês honorífica", Diário do Governo, no. 265, 19 de novembro de 1888, [2557].

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Comunica que segue para o reino".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Guia nº 394".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Informação referida ao anno de 1896".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Prareres - Nota Biográfica".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofício".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofício de 15 de março de 1906".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofícios de 23, 26 e 30 de Março de 1904".

Arquivo Histórico Ultramarino. 771/1. 1D. MU. Cx. 1879-1929. Processos Individuais. ANG. "Eduardo Ayala dos Praseres - Ofícios de novembro de 1900".

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Paróquia de Castanheira do Ribatejo. Baptismos 1825-1854, 119-119v..

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Paróquia de São Vicente de Fora. Casamentos 1860-1867, 44-46.

"Camara Municipal de Loanda. Edital", Diário do Governo, no. 101, 6 de maio de 1889, 1036.

Prazeres, Eduardo Ayala dos. A pauta das alfândegas de Loanda, Benguella e Mossamedes. Luanda: [s. ed.], 1892.

Prazeres, Eduardo Ayala dos. Projecto de pauta para as alfandegas de Luanda, Benguella e Massamedes: acompanhado dos pareceres de alguns membros da associação commercial de Luanda sobre o assumpto. Luanda: Typographia do Mercantil, 1872.

"Relação das guias passadas para pagamento de emolumentos", Diário do Governo, no. 223, 3 de Outubro de 1878, 2417.

Relatório do decreto de 12 de Dezembro de 1885, Diário do Governo, no. 291, 24 de Dezembro de 1885, [3545].

Bibliografia

Collecção da Legislação Novissima do Ultramar - 1883-1884. Vol. 12. Lisboa: Imprensa Nacional, 1886.

Collecção da Legislação Novissima do Ultramar augmentada com um repertorio alphabetico - 1893. Vol. 21. Lisboa: Imprensa Nacional, 1897.

Instituto Português de Heráldica. Anuário da Nobreza de Portugal III. Tomo 1. Lisboa: Instituto Português de Heráldica, 1985.

Geneall, "Eduardo Ayala dos Prazeres". Visualizado em 17 Junho, 2022.

Ligações Externas

"Religious division - 1834". ATLAS - Cartografia Histórica.

Autor(es) do artigo

Gonçalo Margato

Departamento de Estudos Políticos, FCSH, Universidade Nova de Lisboa

https://orcid.org/0000-0002-6248-3947


Sandra Osório da Silva

Departamento de História, FCSH, Universidade Nova de Lisboa

https://orcid.org/0000-0001-7529-5008

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/tozn-fxwx

Citar este artigo

Margato, Gonçalo e Sandra Osório da Silva. "Eduardo Ayala dos Prazeres", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 02/07/2024). Consultado a 24 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Eduardo_Ayala_dos_Prazeres. DOI: https://doi.org/10.34619/tozn-fxwx