Esmeralda

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search

Definição

Deriva-se do grego Smarassein luzir, porque luz muito. Esmeralda é pedra fina, diáfana de um verde muito agradável à vista. A melhor é a que vem do oriente. A esmeralda ocidental vem do Perú ou se cria na Europa, mas não resplandece tanto como a oriental, e às vezes está cheia de umas névoas a que os lapidários chamam ervas. As esmeraldas ocidentais são muito maiores que as orientais, acham-se tão largas como a palma da mão. Dizem que o imperador Nero tinha uma em que via os combates dos gladiadores. Contam-se outras dez castas de esmeraldas, das quais umas se formam nas fendas dos rochedos e outras nas minas de bronze. As esmeraldas orientais e ocidentais vedam os fluxos do ventre e as hemorragias tempera a acrimónia dos humores, para estes efeitos se tomam por boca, depois de moídas. A esmeralda, para ser perfeita, há-de ser de um verde mui subido, negrejante, brilhante e limpa, sem erva nenhuma. Smaradus, i. Masc. Ovid. Plin.

De cor de esmeralda. Smaragdinus, a, um. Cels.[1].

Referências Documentais

Outras informações

Obra

Notas

  1. Bluteau, Vocabulario Portuguez e latino (Tomo III: E), 248.

Fontes

Bibliografia

Bluteau, Rafael, Vocabulário Português e Latino…, 8 vols. e 2 Suplementos. Coimbra: Colégio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

André Filipe Neto e Maria Teresa Oliveira ; Andreia Fontenete Louro

Financiamento

Fundação Calouste Gulbenkian - Projetos de Investigação em Língua e Cultura Portuguesa 2019, Ref.: 227751.

DOI

Citar este artigo

  • Esmeralda (última modificação: 26/08/2022). eViterbo. Visitado em