Fábrica de Tapeçarias de Tavira

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Fábrica de Tapeçarias de Tavira
(valor desconhecido)
Outras denominações valor desconhecido
Tipo de Instituição Profissional
Data de fundação 21 agosto 1776
Data de extinção 1783
Localização
Localização Tavira, Faro, Portugal
Antecessora valor desconhecido

Sucessora valor desconhecido


História

Fundada pelo francês Pedro Leonardo Mergoux, e por Teotónio Pedro Heitor, a iniciativa da sua fundação data de 1773 mas só foi passado alvará por D. José a 21 de agosto de 1776. Acabou por declinar por volta de 1783, após a morte deste monarca.

Teve sete aprendizes: Pedro da Costa, José António de Oliva, José Alvares de Galvão, Francisco D. P. Oliveira, Pedro Tavares de Brito e José da Esperança Freire[1]. Em 1827 dois ainda estavam vivos Pedro Tavares de Brito e José da Esperança Freire, os tapeceiros que mais se distinguiram.

Outras informações

  • Tapeçaria com temas vegetalistas e animais (dimensões de 9,30x3,40 metros), com a inscrição TAVIRA na orla encontrada por Santos Rocha na igreja de S. Julião na Figueira da Foz, Museu Municipal Santos Rocha, Figueira da Foz[2].
  • Tapeçaria com representação do regresso do filho Pródigo ou então Jacob a reconhecer a túnica do seu filho, José, Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa. Esteve na Exposição Ornamental de 1882 (Sala P, nº 78). Tem uma inscrição na orla inferior a dizer TAVIRA[3].

Professores

Curricula

Notas

  1. José Carlos Vilhena de Mesquita, Tavira, o Marquês de Pombal e a fábrica de tapeçarias..., 113.
  2. José Carlos Vilhena de Mesquita, Tavira, o Marquês de Pombal e a fábrica de tapeçarias..., 116-117.
  3. José Carlos Vilhena de Mesquita, Tavira, o Marquês de Pombal e a fábrica de tapeçarias..., 115-116.

Fontes

Bibliografia

Mesquita, José Carlos Vilhena, O Marquês de Pombal e o Algarve. A fábrica de Tapeçarias de Tavira. Tavira: Câmara Municipal, 1999.

Mesquita, José Carlos Vilhena, Tavira, o Marquês de Pombal e a fábrica de tapeçarias....

Neves, José Acúrcio, Noções históricas, económicas e administrativas sobre a produção e manufactura das sedas em Portugal, e particularmente sobre a Real Fábrica das Sedas do subúrbio do Rato e suas anexas. Lisboa: Impressão Régia, 1827.

Viterbo, Francisco de Sousa, Exposição d’Arte Ornamental. Notas ao Catalogo. Lisboa: Imprensa Nacional, 1883.

Viterbo, Francisco de Sousa, Artes e Artistas em Portugal. Lisboa: Livraria Ferreira, 1892.

Ligações Internas

Para consultar as pessoas relacionadas com esta instituição, nomeadamente professores e alunos, siga o link:

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo