Francisco Maria Cordeiro

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Francisco Maria Cordeiro
Nome completo Francisco Maria Cordeiro
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo valor desconhecido
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Francisco Maria Cordeiro nasceu em Lisboa em 1837.

Carreira

Em 1882 foi nomeado amanuense da secretaria geral do governo destacado para a Guiné por portaria provincial de 7 de outubro de 1883 para servir interinamente na secretaria geral do governo. Ocupou este cargo até à data da sua exoneração em 7 de março de 1883. No mesmo dia, tomou posse do cargo de escrivão do almoxarifado, cargo que manteve até 7 de julho do mesmo ano, data em que foi exonerado. Em fevereiro de 1885, foi nomeado pela direção das obras públicas para exercer o cargo de fiel escriturário, cargo que viria a acumular com o de apontador das obras públicas da província da Guiné até agosto de 1887. No mesmo mês, foi nomeado por portaria provincial, condutor auxiliar interino, cargo que ocupou até fevereiro de 1889, quando passou a condutor auxiliar. Entre março e maio de 1890, foi diretor das Obras Públicas da Guiné.

Em fevereiro de 1885, foi nomeado pela direção das obras públicas para exercer o cargo de fiel escriturário, cargo que viria a acumular com o de apontador das obras públicas da província da Guiné até agosto de 1887. No mesmo mês, foi nomeado por portaria provincial, condutor auxiliar interino, cargo que ocupou até fevereiro de 1889, quando passou a condutor auxiliar. Em março de 1890, foi nomeado diretor das obras públicas da Guiné, até maio do referido ano.

Foi promovido a condutor de 2ª classe das obras públicas do ultramar por portaria de novembro de 1894 e foi colocado na Direção das Obras Públicas de São Tomé e Príncipe. Apresentou-se em São Tomé a 7 de abril de 1895.

Por portaria de 31 de janeiro de 1896, foi mandado servir para Cabo Verde e para lá foi transferido definitivamente por portaria de 7 de outubro de 1896. Em 18 de março de 1896 apresentou-se em Cabo Verde. Em julho de 1905, foi dispensado do serviço por ter sido julgado incapaz pela junta de saúde. Em junho de 1909 pediu aposentação[1].


[1] Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura, Processos Individuais. Cx753_1. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP753_1

Outras informações

Obras

Notas

  1. Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura, Processos Individuais. Cx753_1.

Fontes

Bibliografia

Arquivo Histórico Ultramarino, Cabo Verde, 1D. Obras Públicas - Processos Individuais - letras: F. Caixa 753/1, 1892-1917.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Fernando Pires

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo