Francisco Vieira de Matos

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Francisco Vieira de Matos
Outras Grafias EQUAL
Pai Francisco Vieira
Irmão(s) Catarina Vieira
Nascimento 4 de outubro de 1699
[[Lisboa]]
Morte 13 de agosto de 1783 (83 anos)
[[Lisboa]]
Sexo masculino

Biografia

Dados biográficos

Mais conhecido como Vieira Lusitano, para o distinguir de Francisco Vieira, conhecido como Vieira Portuense.

Viterbo menciona a sua vida amorosa conturbada e louva o amor constante que mostrou por D. Inês Helena de Lima e Melo, com quem casara às escondidas e que tirou do convento onde a família a forçara a professar, levando um tiro do irmão dela por isso. Estes factos são contados na sua auto-biografia O insigne pintor, e leal esposo Viera Lusitano, Historia verdadeira, que elle escreve em cantos lyricos. Enviuvou dela em 1775.

Estudou em Roma, na Academia de S. Lucas, graças ao patrocínio do Marquês de Abrantes que, vendo o seu talento, para lá o levou em 1712. Aí estudou com Lutti e Trevisani até 1719, ano em que ganhou o primeiro prémio da Academia na 1ª classe.

Teve como discípulos a sua irmã, Catarina Vieira e o Morgado de Setúbal.

Carreira

Regressado a Portugal, Vieira trabalhou para D. João V entre 1719 e 1722, nas pinturas da Patriarcal, que não acabou. A 22 de outubro de 1719 entrou na Irmandade de S. Lucas e no ano seguinte serviu na mesa. Em 1722 regressou a Roma para pedir recurso e tirar a mulher do convento. Aí ficou até 1728 e foi feito académico de mérito da Academia de São Lucas.

Regressado a Portugal, esteve entre 1730 e 1731 retirado no Convento dos Paulistas, depois de ter causado escândalo ao tirar a mulher do convento, e pintou para lá os Eremitas do cruzeiro da igreja.

Em 1733, quis regressar a Roma, só chegando, todavia, até Sevilha, pois foi entretanto chamado à corte para ser pintor do rei com uma pensão de 720000 réis, que foi renovada por D. José.

Foi feito cavaleiro da Ordem de S. Tiago a 23 de Setembro de 1744[1][2].

Outras informações

Obras

  • Pinturas de Santo António pregando aos peixes e Santo António prostrado perante a Virgem, igreja de S. Roque, Lisboa.
  • c. 1727 - Execução de 9 gravuras para a obra Compendio delle Vite de Santi Orefici ed Argentieri, raccolta da diversi autori de Liborio Caglieri, impressa em Roma (assinada)[3].
  • 1736-1740 - Pinturas várias para o marquês de Polvolide: Santo António, S. Pedro, S. Paulo, Sagrada Família e Santa Bárbara.
  • 1736-1740 - Pintura do painel de São Francisco despojado dos hábitos seculares, igreja do Menino Deus.
  • c. 1743 - Gravuras para o Canon Missae Pontificalis impresso em Roma para a capela de S. João Baptista em S. Roque, Lisboa.
  • 1744 - Retrato do primeiro cardeal-patriarca de Lisboa, D. Tomás de Ataíde.
  • 1750 - Pintura sobre a Tomada de Lisboa aos Mouros por D. Afonso Henriques que ocupava o centro do tecto da igreja de Nossa Senhora dos Mártires (destruída, restam desenhos).
  • 1762 - Pintura de um Santo António para o conde de Lipe.
  • c. 1765 - Execução de várias pinturas para S. Francisco de Paula (retrato do santo na capela-mor, e nas capelas menores o de Nossa Senhora da Conceição, Santo António e Sagrada Família).
  • Pintura de S. Lucas feito para o Marquês de Penalva.
  • Várias pinturas para a cassa dos Condes de Assumar, incluindo uma Sagrada Família.
  • Pinturas da sacristia da Patriarcal (destruída).
  • Pintura de uma Sagrada Família para a capela dos sete altares em Mafra (havia uma réplica na Casa de Cadaval).
  • Pinturas para a Ermida de S. Joaquim ao Calvário, incluindo uma Sagrada Família sobre o Altar.
  • Pintura da Adoração dos Reis para William Hudson.
  • Pintura de Nossa Senhora da Conceição para a Junta do Comércio.

Referências bibliográficas

  1. Viterbo, Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal (2ª série), 80.
  2. Viterbo, Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal (3ª série), 165.
  3. descrição em Viterbo, Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal. 81.

Bibliografia e Fontes

  • AA. VV. Joanni V Magnifico: A Pintura em Portugal ao tempo de D. João V, 1706, 1750. Lisboa: IPPAR, D.L. 1994.
  • Arruda, Luísa, Carvalho, José Alberto Seabra. Vieira Lusitano (1699-1783): o desenho. Lisboa: Museu Nacional de Arte Antiga, 2000.
  • Arruda, Luísa Capucho, Hall, Aline Gallasch. Mulheres do século XVIII. Pintoras portuguesas. Lisboa: Ela por Ela, 2006.
  • Costa, Luís Xavier. Francisco Vieira Lusitano, poeta e abridor de águas-fortes. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1929.
  • De Lama, Giuseppe. Vita del cavaliere Giambattista Bodoni : tipografo italiano, e catalogo cronologico delle sue edizioni. Parma: Stamperia Ducale, 1816.
  • Flor, Susana Varela e Flor, Pedro. Pintores de Lisboa. Séculos XVII-XVIII. A Irmandade de S. Lucas. Lisboa: Scribe, 2013.
  • Mena Junior, António César. "Um esboceto de Vieira Lusitano." separata do Boletim da Real Associação dos Architectos civis e Archeologos Portuguezes.
  • Saldanha, Nuno. "Vieira Lusitano (1699-1783) Pintor Académico Romano". In Artistas, Imagens e Ideias na Pintura do Século XVIII, 46-79. Lisboa: Livros Horizonte, 1995.
  • Saldanha, Nuno. "Da utilidade do Desenho. O Ensino e as práticas do Desenho em Portugal". In Artistas, Imagens e Ideias na Pintura do Século XVIII, 88-93. Lisboa: Livros Horizonte, 1995.
  • Saldanha, Nuno. "Et in arcadia ego. Mesoclassicismo joanino e a influência da arcádia nas Poéticas da Arte". In Artistas, Imagens e Ideias na Pintura do Século XVIII, 214-231. Lisboa: Livros Horizonte, 1995.
  • Turner, Nicholas. Desenhos de mestres europeus em coleccções portuguesas. Lisboa: Centro Cultural de Belém, 2000.
  • Vieira, Francisco de Matos. O insigne pintor, e leal esposo Viera Lusitano, Historia verdadeira, que elle escreve em cantos lyricos. Lisboa: Na officina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno, 1780.
  • Visconde de Castilho. Amores de Vieira Lusitano, apontamentos biographicos. Lisboa: António Maria Pereira/Livraria editora, 1901.
  • Viterbo, Francisco de Sousa. Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1906 (2ª série).
  • Viterbo, Francisco de Sousa. Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1911 (3ª série).

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

DOI

Citar este artigo