Jacinto Guerreiro Chaves

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Jacinto Guerreiro Chaves
Nome completo Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves
Outras Grafias Jachinto Gonçalves Guerreiro Chaves
Pai Severino Gonçalves Guerreiro Chaves
Mãe Catarina Maria da Conceição
Cônjuge Sofia de Carmo Oliveira
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 1 dezembro 1852
Beja, Portugal
Morte 2 julho 1927
Lisboa, Lisboa, Portugal
Sexo Masculino
Religião Cristã
Formação
Formação Instrução básica
Postos
Posto Sargento
Data Início: 18 de janeiro de 1877
Fim: 22 de fevereiro de 1882
Arma Infantaria

Posto Alferes
Data Início: 22 de fevereiro de 1882
Fim: 18 de janeiro de 1887
Arma Infantaria

Posto Tenente
Data Início: 18 de janeiro de 1887
Fim: 03 de setembro de 1891
Arma Infantaria
Cargos
Data Início: 03 de janeiro de 1877
Fim: 22 de fevereiro de 1881

Cargo Chefe de secção
Data Início: 20 de dezembro de 1880
Fim: 22 de fevereiro de 1881

Cargo Condutor auxiliar
Data Início: 06 de fevereiro de 1882
Fim: 15 de junho de 1885

Data Início: 21 de janeiro de 1886
Fim: 04 de fevereiro de 1901


Biografia

Dados biográficos

Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves nasceu em 1 de Dezembro de 1852 em Mértola[1]. Era filho de Severino Gonçalves Guerreiro Chaves e de Catarina Maria da Conceição[2][3]. Foi baptizado em 24 de Janeiro de 1853[1].

Realizou pedido para contrair matrimónio com Maria Romana dos Santos em 27 de Março de 1882, o qual foi deferido[4], sem que haja informação relativa a este matrimónio. Contraiu matrimónio com Sofia de Carmo Oliveira em 12 de Agosto de 1855[3].

Completou a instrução primária[2][3].

Faleceu em 2 de Julho de 1927 no Hospital Militar Principal de Lisboa[5].

Carreira

Alistou-se voluntariamente como praça no Regimento de Infantaria n.º 17 em 2 de Junho de 1871[6].

Era 2º sargento de infantaria do exército de Portugal quando, em 26 de Dezembro de 1876, foi requisitado pelo Ministério das Obras Públicas ao Ministério da Guerra para servir no ultramar[2]. Foi nomeado, em 3 de Janeiro de 1877, por três anos, telegrafista da província de Angola, e promovido a 1º sargento do exército de Portugal a 18 de Janeiro[7]. Iniciou efetivamente o serviço em Angola a 29 de Maio[8].

Próxima de findar comissão de três anos como telegrafista, a 29 de Maio de 1880, requereu a renovação por mais três anos em 21 de Fevereiro, juntamente com a promoção ao posto de alferes, ao abrigo de decreto de 1869[7]. Terminada a comissão, voltou a fazer este pedido em 10 de Agosto de 1880[8]. Não obstante a ausência de resposta conhecida, manteve-se ao serviço, sendo inclusive promovido a chefe da secção telegráfica a 20 de Dezembro[2]. A situação pouco definida levaria a que apresentasse pedido para exoneração, a qual ocorreu em 22 de Fevereiro de 1881[9].

Voltou a pedir uma comissão como chefe dos serviços telegráficos a 11 de junho de 1881, a sua promoção ao posto de alferes e que fosse considerado como condutor de 2ª classe para efeitos de vencimento[9]. Realizou o mesmo pedido a 22 de Janeiro de 1882[10]. No entanto, não pôde ser nomeado para chefe do serviço de telegrafia por já haver nomeação para o lugar. Ainda assim, considerando “o bom serviço prestado”, era proposta a sua nomeação como condutor auxiliar na Direcção das Obras Públicas de Angola[11], a qual aceitou. Foi nomeado em 6 de Fevereiro de 1882, tendo desembarcado em Luanda a 1 de Maio[3]. A 22 de Fevereiro daquele ano alcançou o posto de alferes[6].

A 19 de Dezembro de 1882, Guerreiro Chaves, pediu, no âmbito do seu cargo militar, para ser transferido do exército de Portugal para o exército da África Oriental, sem prejuízo da sua comissão[12]. Manteve-se no exército de Portugal pelo menos até 17 de Abril de 1883, não se sabendo de posteriores desenvolvimentos[13]. Foi exonerado do cargo de condutor auxiliar em 15 de Junho de 1885[14].

Entre 1886 e 1901 foi chefe de vários concelhos angolanos. A saber, Alto Donde, entre 21 de Janeiro de 1886 e 19 de Maio de 1887; Ambriz, entre 20 de Maio de 1887 e 15 de Dezembro de 1887, tendo sido exonerado a seu pedido[6]; Egipto, entre 23 de Fevereiro de 1888 e 20 de Janeiro de 1889; Golungo Alto, entre 21 de Janeiro de 1889 e 9 de Novembro de 1890; Alto Donde (Caxito), entre 10 de Novembro de 1890 e 17 de Março de 1891; Ícolo e Bengo, entre 18 de Março de 1891 e 3 de Fevereiro de 1896; Encoge, entre 19 de Agosto de 1897 e 5 de Janeiro de 1900; e, novamente, em Ícolo e Bengo, entre 7 de Abril 1900 e 4 de Fevereiro de 1901[3].

Em 18 de Janeiro de 1887, foi promovido ao posto de tenente com fim de continuar a servir em comissão em Angola[15]. A promoção a este posto tornou-se efectiva em 6 de Agosto de 1896. Não obstante, sabe-se que foi graduado no posto de capitão em 24 de Agosto de 1891[16], onde efectivou em 14 de Maio de 1903[17].

Serviu como promotor de justiça militar junto do conselho de guerra da província de Angola entre 5 de Março de 1900 e 11 de Abril desse ano[3]. Já em 20 de Agosto de 1901 foi colocado temporariamente em inatividade de serviço por motivos de doença. Embarcou de regresso ao Reino em 26 de Abril de 1902[3], tendo-se apresentado à Direcção Geral do Ultramar em 21 de Maio[18] e ao Ministério da Guerra em 4 de Outubro, para o qual foi transferido[6]. Nesse mês foi colocado na disponibilidade e recebeu nova licença de saúde por um período de 90 dias[19].

Regressou a Angola com colocação na 7.ª Companhia de Indígenas de Infantaria, tendo desembarcado em Luanda em 14 de Julho de 1903[20]. Foi transferido para a 5.ª Companhia em data desconhecida[21], da qual foi comandante até 15 de Setembro de 1905[22]. Assumiu o comando da 2.ª Companhia do Batalhão disciplinar em 2 de Fevereiro de 1906 e presidiu à Junta de Recrutamento Militar em Luanda, para a qual foi nomeado em 3 daquele mês[23].

A partir de 22 de Junho de 1907 iniciou uma nova comissão de serviço em Angola. Foi transferido para a 1.ª Companhia Disciplinar de Angola em 1 de Janeiro de 1909. No mesmo ano, em 22 de Junho, renovou a sua comissão de serviço. Serviu na 4.ª Companhia de Indígenas de Infantaria a partir de 29 de Outubro[24]. Em 26 de Janeiro de 1910 foi nomeado capitão-mor de Holo e Ginga[25], e, em 4 de Agosto do ano seguinte, chefe da circunscrição civil daquela última localidade.

Com fim de realizar tirocínio para promoção ao posto foi exonerado daquele último cargo em 14 de Junho de 1912[26]. Embarcou de volta à República Portuguesa em 27 de Agosto, tendo-se apresentado ao Ministério da Guerra em 27 de Setembro e sido colocado na disponibilidade afecto ao Regimento de Infantaria n.º 24 em 12 de Outubro[27]. Terminou o tirocínio para o posto de major em 2 de Novembro de 1912[28], contudo não consta que tenha recebido a promoção ao posto apesar de ter entregue três requerimentos para esse efeito em 1919, 1921 e 1924, os quais foram todos indeferidos[29]. Ainda em 1912 foi colocado em serviço no Estado Maior de Infantaria[30] e passou à reserva em 7 de Dezembro[31].

Alcançou a reforma em 27 de Janeiro de 1919[32]. Não obstante, retomou o serviço militar no Batalhão de Telegrafistas de praça a 1 de Julho daquele ano. No ano seguinte recebeu a medalha militar de ouro da classe de comportamento exemplar[33]. Tendo desempenhado o cargo de encarregado dos pombais militares em 1920[34], em 1923, apresentou um requerimento para ser colocado no mesmo lugar na condição de ser provida habitação para si e a sua família[35]. Na impossibilidade de satisfazer esse pedido, como referido em nota manuscrita ao documento citado anteriormente, o capitão reformado apresentou o pedido da sua exoneração e recebeu guia de marcha para retomar ao Quartel General da 1.ª Divisão datada de 24 de Agosto de 1923[36].

Notas

  1. 1,0 1,1 Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Certidão de baptismo. Mértola, 2 de Fevereiro de 1912.
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Informação referida ao anno de 1880.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 3,5 3,6 Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Arma de Infantaria. Regimento de Infantaria nº 3. Livro nº 56 - Livro de Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, Regimento de Infantaria n.º 3, com principio em 15 de Setembro de 1890, fl. 33. Número de matrícula 31. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.
  4. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 27 de Março 1882.
  5. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 3067 do Director do Hospital Militar Principal ao Chefe do Estado Maior do Governo Militar de Lisboa. Lisboa, 3 de Junho de 1927.
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Direcção Geral dos Serviços de Infantaria. Livro n.º 1, Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, fl. 65. Número de matrícula 352. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.
  7. 7,0 7,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 21 de Fevereiro de 1882.
  8. 8,0 8,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 10 de Agosto de 1880.
  9. 9,0 9,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 22 de Fevereiro de 1881.
  10. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 26 de Janeiro de 1882.
  11. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Resolução de requerimento. 30 de Janeiro de 1882.
  12. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 19 de Dezembro de 1882.
  13. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 165 do Governo Geral da Província de Angola ao Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Ultramar. Luanda, 17 de Abril de 1883.
  14. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Direcção Geral dos Serviços de Infantaria. Livro n.º 1, Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, fl. 65. Número de matrícula 352. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.
  15. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Direcção Geral dos Serviços de Infantaria. Livro n.º 1, Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, fl. 65. Número de matrícula 352. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.
  16. Portaria de 24 de Agosto de 1891, Diário do Governo, no. 198, 5 de Setembro de 1891, 2116.
  17. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Direcção Geral dos Serviços de Infantaria. Livro n.º 1, Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, fl. 65. Número de matrícula 352. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.
  18. Boletim Militar do Ultramar, 14 de Junho de 1902, Diário do Governo, no. 137, 23 de Junho de 1902, 1776.
  19. Ordem do Exército n.º 24, 25 de Outubro de 1902, Diário do Governo, no. 248, 3 de Novembro de 1902, 3486; 3488.
  20. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 1.
  21. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 1.
  22. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  23. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  24. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  25. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  26. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  27. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  28. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 3554 do Comandante da 1.ª Divisão do Exército ao Director da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra. Lisboa, 6 de Novembro de 1912.
  29. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 1319 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 21 de Novembro de 1919; Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 1 de Outubro de 1921; Ofício n.º 1689 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral do Ministério da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 21 de Outubro de 1924.
  30. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  31. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  32. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  33. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves, fl. 2.
  34. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 1418 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 29 de Outubro de 1920.
  35. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Declaração. Lisboa, 22 de Agosto de 1923.
  36. Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Guia de marcha. Penha de França, 24 de Agosto de 1923.

Fontes

Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Arma de Infantaria. Regimento de Infantaria nº 3. Livro nº 56 - Livro de Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, Regimento de Infantaria n.º 3, com principio em 15 de Setembro de 1890, fl. 33. Número de matrícula 31. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.

Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Direcção Geral dos Serviços de Infantaria. Livro n.º 1 - Matrícula do Pessoal, Registo dos Oficiais, fl. 65. Número de matrícula 352. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Certidão de baptismo. Mértola, 2 de Fevereiro de 1912.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Declaração. Lisboa, 22 de Agosto de 1923.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Guia de marcha. Penha de França, 24 de Agosto de 1923.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. N.º 1. Fôlha de matricula do Capitão Jacintho Gonçalves Guerreiro Chaves.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 1319 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 21 de Novembro de 1919.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 1418 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 29 de Outubro de 1920.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 1689 do Director Geral da 1.ª Direcção Geral do Ministério da Guerra ao Comandante da 1.ª Divisão do Exército. Lisboa, 21 de Outubro de 1924.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 3067 do Director do Hospital Militar Principal ao Chefe do Estado Maior do Governo Militar de Lisboa. Lisboa, 3 de Junho de 1927.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 3554 do Comandante da 1.ª Divisão do Exército ao Director da 1.ª Direcção Geral da Secretaria da Guerra. Lisboa, 6 de Novembro de 1912.

Arquivo Histórico Militar. Processos individuais. Cx. 1610. Proc. 1180-6. Processo de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 1 de Outubro de 1921.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Informação referida ao anno de 1880.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Ofício n.º 165 do Governo Geral da Província de Angola ao Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Ultramar. Luanda, 17 de Abril de 1883.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 22 de Fevereiro de 1881.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 26 de Janeiro de 1882.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Lisboa, 27 de Março 1882.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 10 de Agosto de 1880.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 19 de Dezembro de 1882.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Requerimento de Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Luanda, 21 de Fevereiro de 1882.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Jacinto Gonçalves Guerreiro Chaves. Resolução de requerimento. 30 de Janeiro de 1882.

Boletim Militar do Ultramar, 14 de Junho de 1902, Diário do Governo, no. 137, 23 de Junho de 1902, 1776.

Ordem do Exército n.º 24, 25 de Outubro de 1902, Diário do Governo, no. 248, 3 de Novembro de 1902, 3486; 3488.

Portaria de 24 de agosto de 1891, Diário do Governo, no. 198, 5 de Setembro de 1891, 2116.

Autor(es) do artigo

João de Almeida Barata

https://orcid.org/0000-0001-9048-0447


Miguel Ferreira Miranda

https://orcid.org/0000-0002-7316-6736

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo

Almeida Barata, João de, e Miguel Ferreira Miranda. "Jacinto Guerreiro Chaves", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 25/06/2024). Consultado a 25 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Jacinto_Guerreiro_Chaves. DOI: []