Januário Correia de Almeida

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Januário Correia de Almeida
Nome completo Januário Correia de Almeida
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Oeiras, Lisboa, Portugal
Morte valor desconhecido
Sexo valor desconhecido
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Januário Correia de Almeida (Visconde de São Januário), nasceu em Paço de Arcos, Oeiras, Portugal a 31 de Março de 1829 e faleceu no mesmo local a 27 de Maio de 1901. Filho de Januário Correia de Almeida e de Bárbara Luisa dos Santos Pinto[1].

Era aspirante a oficial quando, em 1843, se matriculou no Estado Maior. Frequentou a Escola do Exército e a Escola Politécnica e foi Comandante da Escola do Exército. Concluiu o curso do Estado Maior em 1854.

Carreira

Assentou praça em 4 de novembro de 1842 no batalhão de caçadores n.º 2. Foi promovido a alferes em dezembro de 1846. Em outubro de 1849 foi-lhe concedido licença para continuar os estudos na universidade de Coimbra. Em 1851 terminou os seus estudos e regressou ao serviço. Em junho de 1851, foi promovido a tenente graduado. Foi-lhe concedido licença para prosseguir os estudos na escola do exército em setembro de 1853, onde viria a concluir os estudos do estado maior em 1854. Em outubro de 1854, foi promovido a tenente. Em dezembro de 1857, passou à divisa de capitão e foi nomeado para exercer as funções de engenheiro militar e civil na província de Cabo Verde em 22 de dezembro de 1857.

Em maio de 1867 foi exonerado da comissão de serviço que desempenhava em Cabo Verde. Durante a comissão em Cabo Verde, em 1858, exerceu interinamente, as funções de governador de Cacheu, e serviu, provisoriamente, de governador geral de Cabo Verde de 8 de agosto de 1860 até abril de 1861.

Em 25 de julho passou ao serviço do ministério das obras públicas. Foi nomeado diretor das obras públicas dos distritos de Braga e Viana, por portaria de 30 de setembro. Passou para o ministério do reino em 17 de janeiro de 1862. Em janeiro de 1862, foi nomeado governador civil do Funchal. Em 20 de outubro foi transferido com igual cargo para o distrito de Braga. Foi nomeado comissário régio do distrito de Vila Real para investigar e sindicar acerca do modo como correu o processo eleitoral no mesmo distrito por ocasião das eleições e de 1 de fevereiro de 1864.

Foi colocado no corpo de engenharia civil com a categoria de engenheiro de 2ª classe chefe, por decreto de 12 de outubro de 1864. Foi transferido de governador civil de Braga para igual cargo para o distrito de Porto em dezembro. Foi exonerado do cargo em maio de 1865. No mesmo ano em junho, foi eleito deputado às cortes nas eleições gerais. Em junho foi exonerado de diretor das obras públicas dos distritos de Braga e Viana. Foi nomeado governador civil do distrito do Porto em setembro. Em 1868, foi exonerado deste cargo por o ter solicitado. Em fevereiro de 1868, por decreto, da mesma data, foi nomeado inspetor da 2ª divisão das obras públicas. Foi nomeado vogal da comissão encarregada de propor ao governo o regulamento geral de contabilidade central do ministério das obras públicas e os regulamentos respetivos. Em março foi exonerado da comissão. Foi promovido a major e foi nomeado Governador geral do estado da Índia por carta régia de 9 de fevereiro de 1870. Em janeiro de 1872 foi transferido do referido cargo para o de governador da província de Macau e Timor. Foi exonerado deste cargo e nomeado enviado extraordinário e ministro plenipotenciário no império da China. Foi nomeado no mesmo ano, para igual cargo para o império do Japão e Siam. Em setembro de 1875, foi exonerado de todos os altos cargos. De volta ao reino, em outubro de 1875. Foi nomeado vogal da comissão encarregada de estudar e propor um plano de reorganização da escola do exército, em abril de 1877. Em maio de 1878, foi nomeado enviado extraordinário e ministro plenipotenciário junto das repúblicas da América do sul. Foi promovido a tenente coronel para as cortes do estado em fevereiro de 1880[1].


[1] Arquivo Histórico Militar - Livro nº 26 - Matrícula dos oficias generais (1897-1921). Ficheiro n.º 013_0006. https://ahmgermil-exercito.defesa.gov.pt/viewer?id=15607&FileID=3711&recordType=Description. Consultado em 28 de julho de 2022, às 15:32 horas.

Outras informações

Iniciou a sua actividade como Engenheiro das Obras Públicas ligado às estradas e vias (1854-57) e ao Caminho-de-ferro (1857).

Foi Director das Obras Públicas de Cabo Verde (1858-59), província na qual também exerceu o cargo de Governador Interino (1860). Os trabalhos que desenvolveu em Cabo Verde que mereceram um elogio por parte do então Ministro desta tutela.

Director das Obras Públicas de Braga e Viana do Castelo (1861). Governador Civil do Funchal, Braga e Porto.  Nomeado Governador Geral da Índia em 1870 exerceu o cargo durante um ano, tendo sido nomeado Governador de Macau e Timor (1872-1874). Foi Ministro da Marinha e do Ultramar (1880) e Ministro da Guerra (1886). Sócio da Academia das Ciências de Lisboa e um dos fundadores da Sociedade de Geografia de Lisboa, tendo sido o seu primeiro presidente." em Faria, Alice Santiago. L’Architecture Coloniale Portugaise à Goa. Le Département Des Travaux Publics, 1840-1926. Saarbrücken: Presses Académiques Francophones, 2014, 522.

Obras

Notas

  1. Zéquete (dirc), Nobreza de Portugal e do Brasil, vol. 3, 320

Fontes

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, SGG cx. 615, pasta 11, doc. 03

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, SGG cx. 615, pasta 11, doc. 08

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, SGG cx. 615, pasta 13, doc. 01

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, SGG cx. 615, pasta 13, doc. 02

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 49 de 8 de junho de 1859

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 53 de 4 de agosto de 1859

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 64 de 12 de março de 1859

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 89 de 8 de junho de 1859

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 74 de 7 de setembro de 1860

Boletim Oficial de Cabo Verde n.º 10 de 9 de março de 1861

Bibliografia

ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA. Processo Académico. Januário Correia de Almeida. 21 de Janeiro de 1858. Disponible online sur: < http://www.acad-ciencias.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=596> (2010.05.25)

ARAGÃO, A.C. Teixeira de. Descripção geral e histórica das moedas cunhadas em nome dos reis, regentes e governadores de Portugal. Lisboa: Imprensa Nacional, 1880, Tomo III, pp. 397-401.

Faria, Alice Santiago. L’Architecture Coloniale Portugaise à Goa. Le Département Des Travaux Publics, 1840-1926. Saarbrücken: Presses Académiques Francophones, 2014, 138, 190, 228, 230, 248-249, 273, 522

Januário Correia de Almeida. Processo Individual. AH-MOPTC.

Zúquete, Afonso (coordenação).Tratado de Todos os Vice-Reis e Governadores da Índia. Lisboa: Editorial Enciclopédia, 1962, pp. 223-224.

Occidente no 63, 1 Agosto 1880, p. 129.

Zúquete, Afonso Eduardo Martins (direcção). Nobreza de Portugal e do Brasil. Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Fernando Pires

DINÂMIA’CET-Iscte, Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo