Joaquim Jardim Granger

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Joaquim Jardim Granger
Nome completo Joaquim Jardim Granger
Outras Grafias valor desconhecido
Pai Q3009
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 1886
Lisboa, Lisboa, Portugal
Morte 1935
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

n. Lisboa 1886, † Lourenço Marques, 1935

Filho do engenheiro Amável Granger.

Estudou na Escola do Exército Engenharia civil e de Minas.

Trabalhou nas obras públicas de S. Tomé (1908?)

Três anos depois foi nomeado Director das Obras Públicas de Angola.

Trabalhou para a Companhia de Moçambique e ficou como director das Obras Públicas de manica e Sofala. Ai ficou cerca de um ano

Em 1916 foi colocado nas Obras Públicas de Moçambique.

Em 1917 assumiu a direcção do porto e do caminho de ferro de Inhambane mas ficou ai pouco tempo pois foi contratado para dirigir os serviços técnicos da câmara municipal de Moçambique. Ai esteve durante bastante tempo.

Foi nomeado chefe da Repartição das Obras Públicas da Colónia de Moçambique.

Engenheiro das Obras Públicas de Moçambique em Lourenço Marques por pp de 3-6-1919 (mapa de pessoal de Janeiro de 1920 e de Julho de 1920)

Fonte:“Obras Públicas-Mapas de Pessoal. Moçambique,” 1917_1920, 292 2G MU DGC cx 1917_1920 Obras Públicas-Mapas de pessoal MOÇ, AHU.

Carreira

– Nomeado engenheiro auxiliar da direcção das obras publicas da província de S. Thomé e Principe, por portaria regia de 10 de Outubro de 1908.

- Seguiu viagem em 7 de Novembro de 1908.

- Transferido para a província de Angola, por portaria de 22-4-911 (Diario do Governo nº 97 de 27-4-911)

- Apresentou-se n’esta Repartição em 8-6-911, um guia do Governo de S. THomé e Principe, afim de gosar tres  mezes de licença registada, concedida por portaria provincial de 17-5-911.

- Em sessão da Junta de Saúde das Colonias de 14-9-911, foram-lhe arbitrados trinta dias de licença para se tratar.

Por despacho de Sua Exa o Ministro de 1-11-911, ficou demorado até ter vaga, com o vencimento de categoria.

- Nomeado engenheiro do quadro das Obras Publicas  das Colonias, por decreto de 9-3-912 (Diario do Governo nº 62 de 15-3-912).

- Collocado na Direcção das Obras Publicas da Provincia de Angola, por portaria de 15-3-912 (Diario do Governo nº 67 de 21-3-912).

- Requisitado para servir na Companhia de Moçambique, em officio M. G.  nº 189, de 9-6-914.

- Auctorisado a passar para o serviço da Companhia de Moçambique, por despacho de Sua Exa o Ministro de 9-7-914.

- Apresentou-se n’esta Repartição em 24-11-915, por ter sido dispensado do serviço da Companhia de Moçambique, nos termos 58º do Regulamento dos Empregados da referida Companhia.

- Por Portaria Ministerial de 19-6-916 (Diario do Governo nº 146 – 2ª serie – de 23-6-916) foi colocado na Direcção das Obras Publicas da província de Cabo Verde.

- Por Portaria Ministerial de 28-6-916 (Diario de Governo nº 156 -2 serie –

(segue na fl 208v)

Transporte de fl. 135

- [Por Portaria Ministerial de 28-6-916 (Diario de Governo nº 156 -2 serie –] de 5-7-916), foram-lhe concedidos 60 dias de licença registada, a contar de 1 do próximo mez de Julho

- Moçambique

- Por Portaria Ministerial de 27-12-916, foi colocado na Direcção das Obras Publicas da província de Moçambique (Diario do Governo nº 2 – 2ª serie – de 3-1-917).

- Seguiu viagem em 3-4-917.

Fonte: AHU. N. Ordem 428 1N SEMU_MU DGU liv 1893_1919 Obras Públicas-Pessoal ULT. p. 135, 208v

Outras informações

Obras

Granger, Joaquim Jardim. Relatório Das Direcção Dos Serviços de Obras Públicas Referente Ao Ano de 1930-1931. Lourenço Marques: Imprensa Nacional, 1932.

Notas


Fontes

Bibliografia

Galvão, João Alexandre Lopes. A Engenharia Portuguesa Na Moderna Obra de Colonização. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1940, 256-257.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo