Joaquim da Cunha Morais

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Joaquim da Cunha Morais
Nome completo Joaquim Júlio da Cunha Morais
Outras Grafias Joaquim Julio da Cunha Moraes
Pai Abílio Simões da Cunha Morais
Mãe Carolina Conceição Simões da Cunha Moraes
Cônjuge Maria Matilde Teixeira Pinto Zuzarte de Mendonça
Filho(s) Ângelo da Cunha Morais, Maria Rosa de Mendonça da Cunha Morais, Maria Carolina de Mendonça da Cunha Morais, Álvaro da Cunha Morais
Irmão(s) Augusto César da Cunha Morais, José Augusto da Cunha Morais, Henriqueta da Conceição da Cunha Morais, Maria da Conceição da Cunha Morais, Alfredo Adelino da Cunha Morais
Nascimento 1864
Luanda, Luanda, Angola
Morte 1963
Porto, Porto, Portugal
Sexo Masculino
Religião Cristã
Residência
Residência Angola
Data Início: 1864
Fim: março de 1898

Residência Portugal
Data Início: março de 1898
Fim: 1963

Residência Angola
Data Início: abril de 1900
Fim: 26 de dezembro de 1900
Formação
Formação Instrução básica

Formação Condutor de obras
Data Início: 1883
Fim: 04 de agosto de 1888
Local de Formação Lisboa, Lisboa, Portugal
Cargos
Cargo Condutor auxiliar
Data Início: 12 de janeiro de 1899
Fim: 09 de fevereiro de 1893

Cargo Condutor de 2ª classe
Data Início: 09 de fevereiro de 1893
Fim: 19 de janeiro de 1899

Cargo Condutor de 1ª classe
Data Início: 19 de janeiro de 1899
Fim: 02 de setembro de 1901


Biografia

Dados biográficos

Joaquim Júlio da Cunha Morais nasceu em 1864 em Luanda[1]. Era filho de Abílio Simões da Cunha Morais[2], relojoeiro e fotógrafo, e Carolina Conceição Simões da Cunha Morais[3][4]. Teve cinco irmãos. A saber, Augusto César da Cunha Morais(Coimbra[5], 1850-1939), José Augusto da Cunha Morais (Coimbra, 1855-1933), Henriqueta da Conceição da Cunha Morais(1860-?), Maria da Conceição da Cunha Morais e Alfredo Adelino da Cunha Morais[4].

Em 1863, os seus pais, irmãos e avô paterno foram para Luanda na sequência da pena de 15 anos de degredo aplicada ao último por falsificação de dinheiro. Em Luanda, o seu pai montou um estúdio de fotografia profissional, que encerrou actividade com o seu falecimento, aproximadamente em 1870. Esta actividade foi abraçada inicialmente pelo o seu irmão mais velho, Augusto César, e posteriormente por José Augusto. Em 1871, órfãos de pai e mãe, os irmãos Cunha Mores regressaram ao Reino, mais precisamente ao Porto, onde, encabeçados por Augusto César - formado em Engenharia e com legado de invenções[6] - fundaram a Fábrica de Fitas e Fiação de Algodão A. C. Cunha Moraes em Crestuma[7]. Posteriormente, José Augusto da Cunha Morais voltou para Luanda onde montou um estúdio de fotografia. Era, então, filiado na Sociedade Portuguesa de Geografia. Realizou uma viagem por Angola com o objectivo de "fotografar os principais aspectos etnográficos e paisagísticos e as mais importantes construções coloniais portuguesas"[4], que resultou, nos anos 80 do século XIX, na obra de 4 volumes África Ocidental - album fotográfico e descritivo. Também participou em várias exposições[8]. Devido a este contexto familiar, é muito provável que a fotografia tenha estado ao serviço Joaquim Júlio, quer na actividade que desenvolveu nas obras públicas, como na actividade industrial.

Casou-se com Maria Matilde Teixeira Pinto Zuzarte de Mendonça (1870?-?) - filha de José Júlio de Mendonça e de Maria Rosa Teixeira Pinto - com quem teve pelo menos quatro filhos[9]. A saber, Ângelo da Cunha Morais nascido em 1897[10] (sem descendência); Maria Rosa de Mendonça da Cunha Morais, que casou com José Peixoto de Araújo Teixeira; Maria Carolina de Mendonça da Cunha Morais (sem descendência); e Álvaro da Cunha Morais, licenciado em Medicina[9].

Realizou parte dos preparatórios dos liceus. Formou-se no Instituto Industrial e Comercial de Lisboa com o curso de condutor de obras públicas, que frequentou entre 1883 e 4 de Agosto de 1888, data da sua carta de curso[11]. Tinha conhecimentos de língua francesa e inglesa[12].

Faleceu em 1963[4] em Crestuma[13], Vila Nova de Gaia.

Carreira

Em 1884, surgiu indicado, pelo director de uma fábrica de Crestuma, como operário/aprendiz de fracção de algodão proposto para concurso com vista a realizar estágio prático na sua indústria em "grandes" em oficinas estrangeiras[14].

Após a conclusão dos seus estudos, foi nomeado condutor auxiliar a 12 de janeiro de 1889, servindo na Direcção das Obras Públicas de Angola a partir de 4 de março desse mesmo ano[1]. A 12 de agosto, solicitou a promoção para condutor de 2ª classe[15]. Não obstante ter as qualificações necessárias, o pouco tempo de serviço que desempenhou[16] motivou que a promoção apenas se tenha concretizado a 9 de fevereiro do 1893[12][17]. Foi colocado como condutor de 2.ª classe do quadro da Direcção Fiscal do Caminho de Ferro de Luanda a Ambaca, onde começou a servir em 2 de Novembro daquele ano[18], tendo também exercido funções de desenhador[19]. Não obstante, no período entre 30 de novembro de 1893 e 12 de março de 1894 serviu em comissão na Direcção das Obras Públicas de Angola. Tendo-se apresentado ao serviço de fiscalização no dia 13 de março de 1894, pouco tempo depois regressaria, em comissão, à Direcção das Obras Públicas onde serviu entre 18 de fevereiro de 1895 e 24 de abril de 1895[18]. Usufruiu de uma licença, sem vencimento, de 17 a 28 de dezembro de 1895[12].

Pediu a promoção a condutor de 1ª classe em 27 de agosto de 1898[20], sendo nomeado em 19 de janeiro do ano seguinte[21]. Em março de 1900 ausentou-se por licença de saúde, partindo com a sua família para Lisboa[10]. Regressou a Angola e assumiu funções a 9 de abril de 1900[22], mas a 20 de dezembro foi declarado novamente incapaz[23] e enviado de volta ao Reino por guia de 26 de dezembro[24]. Por ter necessidade de permanecer no Reino devido a assuntos familiares, em agosto de 1901, requereu duas licenças, cuja rejeição o motivou a apresentar pedido de exoneração a 21 de agosto, a qual foi decretada a 2 de setembro[25][26].

Em 1904, encontrava-se como industrial "com fábrica de ferros de brunir e outros em Crestuma, Vila Nova de Gaia", tendo declarado ter concebido "um modelo de ferro para engomar chamado vulgarmente ferro a vapor"[27][28]. No ano seguinte, em 20 de dezembro, encontrando-se a residir em Vila Nova de Gaia, registou o nome "Nova Fundição de Crestuma"[29], e, a 31 de julho de 1906, a respectiva marca industrial[30].

Outras Informações

Vítima da malária e hepatite crónicas[2], a Junta Militar de Saúde de Angola recomendou, em março de 1899, que retornasse à metrópole para cuidados de saúde[10], sendo-lhe atribuída, a 6 de abril, uma licença de noventa dias para se tratar[31]. A 7 de julho houve necessidade de estender a licença por mais sessenta dias[32], que se repetiu em meados de setembro devido ao estado anémico em que este se encontrava[33]. No início do mês de novembro estava, aparentemente, recuperado, mas requereu novamente licença por seis meses para, dessa vez, tratar de negócios de família na cidade do Porto. O pedido foi-lhe recusado com a justificação da sua ausência do cargo não ser motivada por razões de saúde[34]. Contudo, posteriormente foi-lhe permitida uma licença de quatro meses[34], à qual voltou a pedir, a 16 de março de 1900, uma extensão até 11 de abril[35], mas que não foi aceite[22].

Os problemas de saúde continuaram, correndo "iminente risco de vida" no final no ano de 1900. Alegando ser o clima angolano a causa desses problemas[23], em janeiro de 1901[36] retornou ao Reino, com uma licença de noventa dias[37], estendida em despacho de 25 de abril[38] e em julho[39][40]. A 6 de agosto pediu nova extensão da licença em seis meses[41] e depois uma licença ilimitada, propondo ser colocado fora do quadro de condutores[42], ambas motivadas pela necessidade de tratar de assuntos de família e rejeitadas.

Notas

  1. 1,0 1,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Informação referida ao anno de 1892.
  2. 2,0 2,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Mappa de inspecção feita pela Junta Militar de Saude, em sessão de 20 de dezembro de 1900.
  3. Castelo-Branco, Angela, "Os Cunha Moraes de fio a pavio". Grand Monde. Visualizado em 17 Janeiro, 2023.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 Centro Português de Fotografia, "Cunha Morais Maia 1897/1933".
  5. "Registo de marcas", 26 de novembro de 1904, Diário do Governo, no. 272, 2 de dezembro de 1904, 4275.
  6. "Anúncio 14. Companhia Lisbonense de Iluminação a Gás. Relatório da direcção na gerencia de 1886", Diário do Governo, no. 61, 18 de março de 1887, 615.
  7. Teixeira, "Companhia de Fiação de Crestuma", 7-153.
  8. Arquivo Histórico Militar. Fundos Especiais. Iconografia. Angola. "África Ocidental - album fotográfico e descritivo", J. A. da Cunha Morais".
  9. 9,0 9,1 Geneall, "Joaquim Júlio da Cunha Moraes". Visualizado em 17 Janeiro, 2023.
  10. 10,0 10,1 10,2 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Guia n.º 91. Luanda, 10 de março de 1899.
  11. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Pública forma. Luanda, 27 de outubro de 1897.
  12. 12,0 12,1 12,2 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Informação referida ao anno de 1896.
  13. Arquivo Português de Fotografia, José Cayolla 1877/1916, "Joaquim Moraes [com c. de 15 anos] 1880/1880".
  14. "Relação dos nomes dos operários ou aprendizes propostos a concurso mandado abrir pela portaria de 15 de dezembro de 1883", Diário do Governo, no. 17, 21 de janeiro de 1884, 172.
  15. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Moçâmedes, 12 de agosto de 1889.
  16. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Cópia do documento n.º 1 anexo ao ofício n.º 383. Ofício da Secretaria da Direcção das Obras Públicas de Angola à Secretaria Geral do Governo da Província de Angola. Luanda, 21 de setembro de 1889.
  17. Decreto de 9 de fevereiro de 1893, Diário do Governo, no. 34, 11 de fevereiro de 1893, 409.
  18. 18,0 18,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Pública forma. Luanda, 22 de outubro de 1897.
  19. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Luanda, 28 de outubro de 1898.
  20. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Luanda, 27 de agosto de 1898.
  21. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Documento n.º 56. Paço, 19 de janeiro de 1899.
  22. 22,0 22,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Ofício n.º 1245 do Governador Geral da Província de Angola ao Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Ultramar. Luanda, 26 de dezembro de 1900.
  23. 23,0 23,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Cópia de guia passada pelo Governo Geral da Província de Angola. Luanda, 22 de dezembro de 1900.
  24. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Guia nº 565. Luanda, 26 de dezembro de 1900.
  25. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 21 de agosto de 1901.
  26. Decreto de 2 de setembro de 1901, Diário do Governo, no. 203, 11 de setembro de 1901, 2446.
  27. "Deposito de desenhos e modelos. Aviso de pedidos. Modelo nº 264 - Classe 12ª - Nº 1", Diário do Governo, no. 174, 8 de agosto de 1903, 2710.
  28. "Titulos de deposito de modelos de fabrica concedidos no mês de novembro de 1903", Diário do Governo, no. 290, 24 de dezembro de 1903, 4325.
  29. "Registo Internacional de marcas. Registos feitos no Bureau Internacional de Berne", Diário do Governo, no. 294, 28 de dezembro de 1905, 4528.
  30. "Registo de marcas", 22 de dezembro de 1905, Diário do Governo, no. 169, 31 de julho de 1906, 2675.
  31. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta n.º 56 do chefe da 7.ª Repartição de Contabilidade Pública. 11 de abril de 1899.
  32. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta do chefe da 7.ª Repartição de Contabilidade Pública à Repartição. 1 de agosto de 1899.
  33. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Ofício n.º 144 do Governador Civil do Porto ao Director Geral dos Negócios do Ultramar. Porto, 16 de Setembro de 1899.
  34. 34,0 34,1 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 3 de novembro de 1899.
  35. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 16 de março de 1900.
  36. Despacho de 25 de janeiro de 1901, Diário do Governo, no. 22, 28 de janeiro de 1901, 283.
  37. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta. Paço, 26 de janeiro de 1901.
  38. Despacho de 25 de abril de 1901, Diário do Governo, no. 97, 2 de maio de 1901, 1169.
  39. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 19 de abril de 1901.
  40. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 29 de julho de 1901.
  41. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 6 de agosto de 1901.
  42. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 12 de agosto de 1901.

Fontes

"Anúncio 14. Companhia Lisbonense de Iluminação a Gás. Relatório da direcção na gerencia de 1886", Diário do Governo, no. 61, 18 de março de 1887, 615. Arquivo Histórico Militar. Fundos Especiais. Iconografia. Angola. "África Ocidental - album fotográfico e descritivo", J. A. da Cunha Morais".

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Cópia de guia passada pelo Governo Geral da Província de Angola. Luanda, 22 de dezembro de 1900.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Cópia do documento n.º 1 anexo ao ofício n.º 383. Ofício da Secretaria da Direcção das Obras Públicas de Angola à Secretaria Geral do Governo da Província de Angola. Luanda, 21 de setembro de 1889.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Documento n.º 56. Paço, 19 de janeiro de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Guia n.º 91. Luanda, 10 de março de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Guia nº 565. Luanda, 26 de dezembro de 1900.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Informação referida ao anno de 1892.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Informação referida ao anno de 1896.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Mappa de inspecção feita pela Junta Militar de Saude, em sessão de 20 de dezembro de 1900.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta. Paço, 26 de janeiro de 1901.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta do chefe da 7.ª Repartição de Contabilidade Pública à Repartição. 1 de agosto de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Minuta n.º 56 do chefe da 7.ª Repartição de Contabilidade Pública à Repartição. 11 de abril de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Ofício n.º 144 do Governador Civil do Porto ao Director Geral dos Negócios do Ultramar. Porto, 16 de Setembro de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Ofício n.º 1245 do Governador Geral da Província de Angola ao Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Ultramar. Luanda, 26 de dezembro de 1900.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Pública forma. Luanda, 22 de outubro de 1897.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Pública forma. Luanda, 27 de outubro de 1897.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 6 de agosto de 1901.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 12 de agosto de 1901.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 19 de abril de 1901.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Lisboa, 29 de julho de 1901.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Luanda, 28 de outubro de 1898.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Moçâmedes, 12 de agosto de 1889.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 3 de novembro de 1899.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 16 de março de 1900.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/2. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. Joaquim Júlio da Cunha Morais. Requerimento de Joaquim Júlio da Cunha Morais. Porto, 21 de agosto de 1901.

Centro Português de Fotografia. Cunha Morais Maia 1897/1933.

Centro Português de Fotografia. José Cayolla 1877/1916. "Joaquim Moraes [com c. de 15 anos] 1880/1880".

Decreto de 2 de setembro de 1901, Diário do Governo, no. 203, 11 de setembro de 1901, 2446.

Decreto de 9 de fevereiro de 1893, Diário do Governo, no. 34, 11 de fevereiro de 1893, 409.

Despacho de 25 de janeiro de 1901, Diário do Governo, no. 22, 28 de janeiro de 1901, 283.

Despacho de 25 de abril de 1901, Diário do Governo, no. 97, 2 de maio de 1901, 1169.

"Deposito de desenhos e modelos. Aviso de pedidos. Modelo nº 264 - Classe 12ª - Nº 1", Diário do Governo, no. 174, 8 de agosto de 1903, 2710.

"Registo de marcas", 22 de dezembro de 1905, Diário do Governo, no. 169, 31 de julho de 1906, 2675.

"Registo de marcas", 26 de novembro de 1904, Diário do Governo, no. 272, 2 de dezembro de 1904, 4275.

"Registo Internacional de marcas. Registos feitos no Bureau Internacional de Berne", Diário do Governo, no. 294, 28 de dezembro de 1905, 4528.

"Relação dos nomes dos operários ou aprendizes propostos a concurso mandado abrir pela portaria de 15 de dezembro de 1883", Diário do Governo, no. 17, 21 de janeiro de 1884, 172.

"Titulos de deposito de modelos de fabrica concedidos no mês de novembro de 1903", Diário do Governo, no. 290, 24 de dezembro de 1903, 4325.

Bibliografia

Castelo-Branco, Angela. "Os Cunha Moraes de fio a pavio". Grand Monde. Visualizado em 17 Janeiro, 2023.

Geneall, "Joaquim Júlio da Cunha Moraes". Visualizado em 17 Janeiro, 2023.

Teixeira, Maria de Fátima. "Companhia de Fiação de Crestuma. Do fio ao pavio". Dissertação de mestrado, Universidade do Porto, 2017.

Ligações Externas

Arquivo Histórico Militar. Fundos Especiais. Iconografia. Angola. PQ. Doc. 6. J. A. da Cunha Morais, "África Ocidental - album fotográfico e descritivo".

Silva, Sara. "José Augusto da Cunha Moraes". Fotojornalismo13.

Autor(es) do artigo

Miguel Ferreira Miranda

https://orcid.org/0000-0002-7316-6736


Sandra Osório da Silva

Departamento de História, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa

https://orcid.org/0000-0001-7529-5008

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo

Miranda, Miguel Ferreira, e Sandra Osório da Silva. "Joaquim da Cunha Morais", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 25/06/2024). Consultado a 23 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Joaquim_da_Cunha_Morais. DOI: []