José da Silva Paulete

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


José da Silva Paulete
Nome completo José Maria da Silva Paulete
Outras Grafias Jozé Maria da Silva Paullete
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) José Maria da Silva Paulete
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Residência
Residência São Tomé e Príncipe
Data Início: 1814

Residência São Tomé e Príncipe
Data Início: 1841
Postos
Posto Sargento-mor
Data Início: 1814
Fim: 1814

Posto Tenente-coronel
Data Início: 1819
Actividade
Actividade Missão
Data Início: 1805
Local de Actividade Colónia do Sacramento, Uruguai

Actividade Desenho hidrográfico
Data Início: 1814
Fim: 1814
Local de Actividade Santo António, São Tomé e Príncipe

Actividade Desenho cartográfico
Data Início: 1814
Fim: 1814
Local de Actividade Príncipe, São Tomé e Príncipe


Biografia

Dados biográficos

Até ao momento desconhece-se a data e local de nascimento e falecimento de José Maria da Silva Paulete. Foi possivelmente familiar de António da Silva Paulete.

Teve um filho, também de nome José Maria da Silva Paulete, que nasceu na ilha do Príncipe, em 1824. Em 1840, foi estudar para Lisboa, integrando um grupo de 10 rapazes que foram pedidos pela Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha e do Ultramar ao Governador de São Tomé e Príncipe. Enquanto aluno distinguiu-se pela sua aplicação, bom comportamento e educação. Faleceu a 8 de Março de 1841 no Hospital da Marinha, em Lisboa, de um ataque pleuro-pneumónico[1].

Residiu em São Tomé e Príncipe pelo menos em 1814 e em 1841, ano em que foi notificado pelo falecimento do seu filho.

Carreira

Em 16 de Agosto de 1805, era mestre da embarcação Nossa Senhora do Monte do Carmo e obteve o passaporte para viajar desde os portos africanos para Cumaná com escala num dos portos do Brasil, e de Cumaná para Lisboa, e de Lisboa para Montevidéu, acompanhado pelo novo mestre Manuel António Barreiros[2].

Em 1814, no posto de sargento-mor, elaborou a planta cidade e do porto de Santo António, o mapa de costas e fundos marinhos e a planta da ilha, em São Tomé e Príncipe, juntamente com Joaquim de Sousa Braga, 2º Tenente da Armada Real.

Encontrava-se no posto de tenente coronel com exercício de major em 1819[3].

Outras informações

Obras

- Planno da Cidade de Stº António da Ilha do Príncipe, 1814.

- Planta de huma parte de Oeste da Ilha do Príncipe, 1814.

- Plano do Porto da Ilha do Príncipe, 1814.

- Plano da Ilha do Príncipe no Golfo da Guiné (Carta hidrográfica), 1814.

Notas

  1. Arquivo Histórico de São Tomé e Príncipe. ASGG. Cx. 1, pasta 3, mç. 2. Correspondência da Metrópole, fls. 10-13, 30 de Março de 1841.
  2. Arquivo Histórico Ultramarino. CU. Brasil Geral. Cx. 37. Passaporte passado pelo secretário de estado da marinha e ultramar, visconde de Anadia, [D. João Rodrigues de Sá e Melo Meneses e Souto Maior], autorizando o bergantim Nossa Senhora do Monte do Carmo, de que é mestre, José Maria da Silva Paulete e senhorio, José António Pereira, a viajar da costa e portos livres da África para Cumaná e dali para Lisboa [e de Lisboa para Montevidéu, com escala na ida por um dos portos do Brasil, com um novo mestre, Manuel António Barreiros], 16 de Agosto de 1805.
  3. "Relação dos Despachos publicados pela Secretaria de Estado dos Negocios da Marinha e Dominios Ultramarinos, no Faustissimo Dia dos Annos do Serenissimo Senhor Principe Real", Gazeta Extraordinaria do Rio de Janeiro, no. 3, 14 de Outubro de 1819.

Fontes

Arquivo Histórico de São Tomé e Príncipe. ASGG. Cx. 1, pasta 3, mç. 2. Correspondência da Metrópole, fls. 10-13, 30 de Março de 1841.

Arquivo Histórico Ultramarino. Coleção de Cartografia Manuscrita. Planno da Cidade de Stº António da Ilha do Príncipe, 1814.

Arquivo Histórico Ultramarino. Coleção de Cartografia Manuscrita. Planta de huma parte de Oeste da Ilha do Príncipe, 1814.

Arquivo Histórico Ultramarino. Coleção de Cartografia Manuscrita. Plano do Porto da Ilha do Príncipe, 1814.

Arquivo Histórico Ultramarino. CU. Brasil Geral. Cx. 37. Passaporte passado pelo secretário de estado da marinha e ultramar, visconde de Anadia, [D. João Rodrigues de Sá e Melo Meneses e Souto Maior], autorizando o bergantim Nossa Senhora do Monte do Carmo, de que é mestre, José Maria da Silva Paulete e senhorio, José António Pereira, a viajar da costa e portos livres da África para Cumaná e dali para Lisboa [e de Lisboa para Montevidéu, com escala na ida por um dos portos do Brasil, com um novo mestre, Manuel António Barreiros], 16 de Agosto de 1805.

Braga, Joaquim de Souza; Paulet, Joze Maria da Silva. Plano da Ilha do Príncipe no Golfo de Guiné por Joaquim de Souza Braga, Segundo tenente da Armada Real, e Joze Maria da Silva Paulet, Sargento Mor; Levantado em 1814 e corrigido em 1819. Lisboa: J. M. C. Calheiros lyth, 1853.

"Relação dos Despachos publicados pela Secretaria de Estado dos Negocios da Marinha e Dominios Ultramarinos, no Faustissimo Dia dos Annos do Serenissimo Senhor Principe Real", Gazeta Extraordinaria do Rio de Janeiro, no. 3, 14 de Outubro de 1819.

Autor(es) do artigo

Mafalda Pacheco

CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa

https://orcid.org/0000-0002-1091-6325

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/cbtz-cpn2

Citar este artigo

Pacheco, Mafalda. "José da Silva Paulete", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 11/07/2024). Consultado a 24 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Jos%C3%A9_da_Silva_Paulete. DOI: https://doi.org/10.34619/cbtz-cpn2