Perspectiva

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search

Parte da óptica que ensina a representar os objectos mais ou menos distantes do que são, com linhas térreas, horizontais, paralelas, diametrais e perpendiculares e com o ponto primeiro ou principal e outros dois a que chamam pontos de distância. A arquitectura e a pintura têm duas perspectivas com agradável engano dos olhos. A primeira, a que Vitrúvio chama Scenographia é a do frontispício e lados de um edifício, de um jardim, etc. A perspectiva da pintura se vê nos países em painéis ou em paredes pintadas a fresco, com bosques, jardins, campos ou casas delineadas com as regras da óptica, com seus fundos e cores menos vivas. Toda esta obra se faz por meio das linhas visuais, umas pelas quais procedem os raios direitos e por meio deles se faz a visão direita, e outras pelas quais procedem os raios oblíquos e com estes se faz a visão oblíqua. A perspectiva a que chamam specularia é a que em espelhos esféricos ou figuras cilíndricas e outras mostra em sua justa proporção objectos que no papel ou no pano pareciam monstruosamente irregulares[1].

Notas

  1. Bluteau, Vocabulario Portuguez e latino (Tomo VI: P), 449.

Bibliografia e Fontes

  • Bluteau, Rafael. Vocabulario portuguez e latino, aulico, anatomico, architectonico, bellico, botanico, brasilico, comico, critico, chimico, dogmatico, dialectico, dendrologico, ecclesiastico, etymologico, economico, florifero, forense, fructifero... autorizado com exemplos dos melhores escritores portugueses, e latinos... Tomo VI: Letra O-P. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1716.