Arnaldo Redondo Adães Bermudes

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Arnaldo Redondo Adães Bermudes
Nome completo Arnaldo Redondo Adães Bermudes
Outras Grafias valor desconhecido
Pai Félix Redondo Adães
Mãe Cesina Romana Bermudes
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 1 outubro 1864
Porto, Portugal
Morte 18 fevereiro 1948
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Arnaldo Redondo Adães Bermudes era filho de Félix Redondo Adães e de D. Cesina Romana Bermudes. Nasceu a 1 de outubro de 1864, no Porto, na freguesia de Santo Ildefonso.

Estudou na Academia Portuense de Belas Artes e em 1866 foi completar os seus estudos no estrangeiro. Em 1888 concorreu ao lugar de pensionista do Estado no estrangeiro, na secção de arquitectura civil, ficando em primeiro lugar. Como pensionista, frequentou por cinco anos várias escolas estrangeiras, com destaque para a Escola de Belas Artes de Paris e para o atelier do arquitecto Paul Blondel.

Logo no seu primeiro ano em Paris teve trabalhos admitidos no Salon. Em 1894 ganhou a 2ª medalha na Exposição do Grémio Artístico e em 1900 ganhou a medalhe de prata e a de ouro da Exposição Universal de Paris. Em 1911 ganhou a 1ª medalha na Sociedade Nacional de Belas Artes e em 1915 a medalhe de ouro e a medalha de honra na Exposição Internacional do Panamá-Pacífico.

Carreira

Em 1895 ganhou o 1º e o 2º prémios nos concursos abertos pelo Ministério das Obras Públicas para os projectos de restauro do Mosteiro dos Jerónimos.

Em 1897 ganhou o primeiro prémio no concurso aberto pela comissão do 4º centenário do descobrimento da Índia para os projectos de bairros económicos a construir em Lisboa, no Porto e na Covilhã.

Em 1898 ganhou o primeiro prémio no concurso aberto pelo Ministério do Reino para projectos-tipo de escolas primárias, sendo nomeado director das construções escolares desse ministério. Construiu no exercício dessa função cerca de 300 edifícios escolares em todo o país.

Em 1910 recebeu o prémio Valmor pela mais bela edificação construída em Lisboa nesse ano.

Em 1913 obteve um prémio no concurso para o projecto do edifício da Escola Normal de Lisboa, em Benfica, que vai dirigir.

Em 1914 foi-lhe adjudicado um prémio pelo projecto do Palácio de Exposições e Festas em concurso aberto pela Câmara Municipal de Lisboa, feito em colaboração com António do Couto Abreu.

Por decreto de 13 de julho de 1917 foi-lhe conferido o primeiro prémio e adjudicação da obra para o monumento ao Marquês de Pombal, em cuja execução colaborou o mesmo António do Couto e o escultor Francisco dos Santos.

Quando foi extinta a Direcção das Construções Escolares, foi transferido para o Ministério das Obras Públicas com a graduação de arquitecto de primeira classe, sendo depois promovido a arquitecto principal.

Foi autor dos projectos, por ele dirigidos, das Agências do Banco de Portugal em Bragança, Coimbra, Évora, Faro, Viseu e Vila Real; dos hospitais de Oleiros e da Covilhã; das cadeias de Sintra e da Anadia; das igrejas de Espinho e de Amorim; do jazigo dos benfeitores da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa; dos Paços do Concelho de Sintra; das ampliações do Museu Nacional de Arte Antiga; do novo edifício do Instituto Superior de Agronomia, na Tapada da Ajuda e de vários prédios de habitação articular, como o do Conde Agrolongo na Lapa.

Colaborou no desenvolvimento das corporações artísticas de Portugal e foi membro honorário correspondente de alguns institutos do estrangeiro.

Desempenhou comissões de serviço público.

Regeu interinamente os cursos de construção civil e resistência de materiais na Academia de Belas Artes de Lisboa.

Foi vogal da Comissão dos Monumentos Nacionais, do Conselho de Arte e Arqueologia e do Conselho Superior de Instrução Pública.

Foi vogal e presidente da Comissão Administrativa do Município de Lisboa, sendo eleito senador independente na sessão legislativa de 1918-1919[1].

Outras informações

Obras

Notas

  1. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III, 215-217.

Fontes

Bibliografia

Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal. Vol III. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1922.

Ligações Externas

Arnaldo Redondo Adães Bermudes In Wikipédia.

Arnaldo Redondo Adães Bermudes In Sigarra U.Porto.

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo