César Barradas Guerreiro

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


César Barradas Guerreiro
Nome completo César Augusto Barradas Guerreiro
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Actividade
Actividade Desenho cartográfico
Data Início: 1861
Fim: 1862
Local de Actividade Porto, Porto, Portugal


Biografia

Dados biográficos

Carreira

César Augusto Barradas Guerreiro era oficial do Exército em 1861-1862, tendo assistido no levantamento da Barra do Porto executado por engenheiros hidrógrafos da Direcção-Geral de Trabalhos Geodésicos Topográficos, Hidrográficos e Geológicos do Reino[1]. O trabalho foi coordenado por Caetano Maria Batalha, sendo então Filipe Folque o director-geral, e nele colaboraram J. de A. e Albuquerque e Carlos Botelho de Vasconcelos, além do seu colega oficial do Exército Augusto Teles Ferreira.

Outras informações

Obras

Na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, consta a seguinte obra:

Plano Hydrographico da Barra do Porto levantado em 1861 e 1862, sob a direcção do Conselheiro F. Folque, Director Geral dos Trabalhos Geodesicos do Reino, por C. M. Batalha, Engenheiro Hydrographo, coadjuvado pelos Engenheiros Hydrographos D. C. B de Vasconcellos, J. E. de A. e Albuquerque e Oficiais do Exercito A. G. T. Ferreira, C. A. Guerreiro. Lisboa. 1871[1]

Notas

  1. 1,0 1,1 Biblioteca Nacional de Portugal, Cartografia (BNP). Cota: C.C. 557 R. Disponível em Biblioteca Nacional Digital (BND)

Fontes

Biblioteca Nacional de Portugal, Cartografia (BNP)

Bibliografia

Ligações Externas

Biblioteca Nacional Digital (BND)

Catálogo da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP)

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo