Eduardo Sepúlveda Pimentel

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Eduardo Sepúlveda Pimentel
Nome completo Eduardo Sepúlveda Pimentel
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Eduardo Sepúlveda Pimentel nasceu em Pandá, Estado da Índia em 26 de janeiro de 1847. É filho de António Sepúlveda Pimentel e de Mariana Rosa Augusta Soares[1]. Frequentou o curso de infantaria na Escola Matemática e Militar de Goa[2]. Frequentou a Escola do Exército no curso da arma de Infantaria.

Carreira

Assentou praça como voluntário no regimento de Infantaria n.º 2 em junho de 1877. 1º sargento graduado aspirante a oficial no regimento de Infantaria n.º 2, foi nomeado condutor auxiliar das Obras Públicas de Cabo Verde por portaria de 9 de setembro de 1878. A 18 do mesmo mês e do mesmo ano, foi promovido por decreto a alferes. Apresentou-se em Cabo Verde a 14 de outubro de 1878. Foi destacado para a ilha de Fogo em novembro do mesmo ano e regressou à capital em maio de 1881. Em 1881, encontrava-se em Cabo Verde como condutor auxiliar na Ilha do Fogo. Em julho do mesmo ano estava destacado para a cidade da Praia. Seguiu para Lisboa em 15 de outubro. Terminou a sua comissão em Cabo Verde a 13 de outubro de 1881.

Outras informações

Obras

Fez parte da secção dos trabalhos na Ribeira da Barca, donde recolheu à capital em outubro de 1880.

Notas

  1. Arquivo Histórico Militar, Livro nº 22 - Registo dos oficiais da 1ª Repartição (1881-1897). Ficheiro n.º 00000034_0029.jpg
  2. Arquivo Histórico Militar, Alunos das Escolas Militares - Academia de Fortificação / Escola do Exército / Escola de Guerra / Escola Militar (1790 a 1940)

Fontes

Bibliografia

DG247 de 2 de novembro de 1881

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Fernando Pires

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo