José Alexandre Soares

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


José Alexandre Soares
Outras Grafias EQUAL
Pai Alexandre Eduardo Soares
Mãe Guilhermina Biencard Soares
Nascimento 6 de julho de 1873
[[Lisboa, Portugal]]
Sexo masculino

Biografia

Dados biográficos

Nasceu a 6 de julho de 1873 em S. Pedro de Alcântara, Lisboa, filho de Alexandre Eduardo Soares e Guilhermina Biencard Soares.

Formou-se como arquitecto pela Academia Real de Belas Artes de Lisboa. Em 1886 concorreu a pensionista do Estado no estrangeiro, na secção de arquitectura civil, tendo obtido o Grand Prix de Paris pela sua classificação.

Partiu para Paris em abril de 1886, aí completou os seus estudos de arquitectura com Jean-Louis Pascal, frequentando também a Escola de Belas Artes, o Conservatório das Artes e Ofícios e a Escola de Artes Decorativas.

Concluiu os seus estudos em 1900, partindo para Itália em viagem de instrução, regressando a Portugal em 1901. A 3 de setembro de 1903 foi nomeado académico de mérito.

Carreira

Em 1900 foi adido, como arquitecto, à secção portuguesa da Exposição Universal de Paris, dirigindo a construção dos pavilhões e instalações portuguesas, sob a direcção de José Luís Monteiro.

A 9 de novembro de 1903 foi nomeado professor interino da 1ª cadeira da Escola de Belas Artes de Lisboa. A 17 de agosto de 1905 foi nomeado professor da 1ª cadeira da mesma escola, sendo nomeado em 1907 para a regência interina da 2ª cadeira. A sua nomeação de professor da 1ª cadeira foi definitivamente confirmada por decreto de 22 de fevereiro de 1908.

A 20 de maio de 1902 foi nomeado arquitecto do quadro do Ministério das Obras Públicas.

Por despacho de 16 de março de 1910 passou à situação de destacado por ter sido requisitado pelo Ministério do Reino para desempenhar uma comissão de serviço estranha ao respectivo quadro.

A 10 de setembro de 1911 foi nomeado arquitecto-chefe da Repartição de Arquitectura da Câmara Municipal de Lisboa.

Foi vogal e arguente no júri do concurso para professor da cadeira de geometria da Academia Portuense de Belas Artes.

Foi vogal do júri que apreciou as provas do concurso para o monumento comemorativo da Guerra Peninsular a erigir no Porto, e no concurso para o Teatro de S. João. Foi também vogal e relator dos concursos par ao projecto da Igreja da Imaculada Conceição e para os edifícios da Escola Normal de Lisboa.

Vogal do Conselho de Arte e Arqueologia da 1ª circunscrição da Comissão dos Monumentos do Conselho dos Melhoramentos Sanitários.

Arquitecto da Legação de França em Portugal[1].

Outras informações

Obras

  • Último projecto do Teatro Académico de Coimbra e direcção da primeira parte da sua construção, depois entregue à Faculdade de Letras.
  • Restauro da igreja de S. Tiago de Coimbra.
  • Projecto do palácio das exposições e festas destinado ao Parque Eduardo VII em Lisboa.
  • Projecto do edifício do forno crematório.
  • Projectos dos monumentos levantados à memória do actor Taborda e a Rafael Bordalo Pinheiro.
  • Projecto e construção do novo hospital de Benavente.
  • Projecto e construção do mercado de Alcântara.
  • Plinto da Estátua de Chiado no Largo Chiado.

Referências bibliográficas

  1. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III, 418-419.

Bibliografia e Fontes

  • Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1922.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

DOI

Citar este artigo