José Francisco de Sousa

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


José Francisco de Sousa
Nome completo José Francisco de Sousa
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Postos
Posto Ajudante com exercício de Engenheiro
Data Início: 1770
Cargos
Cargo Ajudante com exercício de Engenheiro
Data Início: 1770
Actividade
Actividade Desenho cartográfico
Local de Actividade Bahia, Brasil


Biografia

Dados biográficos

Carreira

Em 1770 era ajudante de engenheiro na praça da Bahia. Copiou e reduziu a planta topográfica da Bahia de Todos os Santos mandada tirar pelo Conde de Povolide e executada por José António Caldas[1].

Outras informações

Obras

No Arquivo Histórico do Exército, no Rio de Janeiro, constam os seguintes mapas de sua autoria:

Topográfica da Bahia de Todos os Santos, na qual está situada a Cidade de S. Salvador em altura de 13º de latitude e 345º e 56’ minutos de longitude. (...) Feita pelo Sgt. Mor Engenheiro José Antonio Caldas e copiada pelo Ajudante Engenheiro José Francisco de Souza na Bahia aos 4 de Fevereiro de 1771, colorido, nanquim, tinta colorida, aquarela, com rosa dos ventos, escala, legenda, nota explicativa,  papel canson, telado, 73 cm x 52 cm[2].

Ichnografia da Villa da Victoria, Capital da Capitania do Espirito Santo situada a 20º e 15 de latitude para o Sul e 344ª 45’  de longitude.  Foi tirada por José Antonio Caldas, capitão Engenheiro e lente da Aula Real das Fortificações da Cidade da Bahia, que foi mandado aquela capitania a esta diligencia pelo Illmo e Exmo  Sr Conde de Azambuja Governador e Capitão General dela. Copiada por José Francisco de Sousa, Acadêmico com partido na dita Aula. (Na explicação) Bahia 10 de Outubro de 1767. Copiado pelo Cap Antônio Pedro Lecor em 1860, colorido, nanquim, tinta colorida, aquarela, com nota explicativa, com seta norte, escala em braças, papel canson telado, bom estado, medindo 67,5cm x 51,5cm[3].

Planta e Fasada da Fortaleza de Sam Joam, uma das principais que defende o rio da Capitania do Espírito Santo na sua garganta. (...) Toda a sua muralha que é batida das marés foi reparada de novo, e igaulmente todo o seu parapeito reparado, e feito de novo com outros consertos miúdos que nela se fizeram coma assistência do capitão Engenheiro José António Caldas, no ano de 1765, que foi mandado a esta diligencia pelos governadores interinos da Bahia e presentemente foi mandado pelo Illmo e Exmo Sr. Conde de Azambuja Governador e Capitão General de mar e terra desta capitania a outras diligencias na qual tirou esta planta que foi copiada por José Francisco de Souza, Acadêmico com partido na Aula Real das Fortificações nesta cidade da Bahia aos 8 de Outubro de 1767, colorido, nanquim, tinta colorida, aquarela, com nota explicativa, com rosa dos ventos, escala em palmos, papel canson, 27cm x  39cm[4].

Notas

  1. Viterbo, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, 3:73.
  2. Arquivo Histórico do Exército - Brasil (AHEx). Cota: AHE 05.35.319
  3. Arquivo Histórico do Exército - Brasil (AHEx). Cota: AHE 05.29.1188
  4. Arquivo Histórico do Exército - Brasil (AHEx). Cota: AHE 05.27.3703

Fontes

Arquivo Histórico do Exército - Brasil (AHEx)

Bibliografia

Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal. Vol. 3. Lisboa: Imprensa Nacional, 1922.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo