Teodósio de Frias (2)

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Teodósio de Frias (2)
Nome completo Teodósio de Frias
Outras Grafias valor desconhecido
Pai Luís de Frias
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Filho de Luís de Frias, arquitecto dos cadafalsos de Lisboa, e neto de Teodósio de Frias (1).

Cognome o moço.

Utiliza o apelido Pereira, da avó materna.

Requer para ser familiar do Santo Ofício[1].

Carreira

Nomeado para um dos lugares de aprendiz de arquitectura em 1631, substituindo Eugénio de Frias.

Superintendente do jardineiro do palácio de Alcântara, como o seu avô.

Arquitecto de sua majestade e juíz da balança da Casa da Moeda de Lisboa, cargos transmitidos pelo avô.

Nomeado mestre dos paços da Ribeira, lugar vago pelo falecimento do seu pai em 1641.

Arquitecto do castelo de S. Jorge. Pai e avô também exerceram o cargo[2].

Examina os locais a necessitar de obras na igreja e mosteiro de São Vicente de Fora entre 1608 e 1612.

Responsável pelo plano de obras na igreja de Santos-o-Velho em 1624.

Participa nas obras da igreja de São Paulo em 1626[3].

Outras informações

Obras

Castelo de São Jorge.

Notas

  1. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol I, 395-399.
  2. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol I, 395-399.
  3. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III, 327-329.

Fontes

Bibliografia

Tojal, Alexadre. "O Arquitecto da Cidade: de Teodósio de Frias a Malaquias Ferreira Leal. Contornos de um cargo municipal". 42-61.

Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal. Vol I. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1899.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo