Augusto Gonçalves dos Santos

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Augusto Gonçalves dos Santos
Nome completo Augusto Rogério Gonçalves dos Santos
Outras Grafias valor desconhecido
Pai João Gonçalves dos Santos
Mãe Joaquina Margarida Santos
Cônjuge Luísa Augusto Pereira dos Santos
Filho(s) Aurélia, Maria Macedo
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 29 março 1842
Abrantes, Santarém, Portugal
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião Cristã
Residência
Data Início: 1867
Fim: 1881


Biografia

Dados biográficos

Augusto Rogério Gonçalves dos Santos nasceu em Abrantes, distrito de Santarém, a 29 de março de 1842. É filho de João Gonçalves dos Santos e de Joaquina Margarida Santos. É casado com Luísa Augusto Pereira dos Santos. Teve duas filhas, Aurélia que nasceu em 1872 e faleceu em 13 de dezembro de 1873 e Maria que nasceu a 29 de outubro de 1876. Foi aluno do Real Colégio Militar.

Carreira

Assentou praça como voluntário no batalhão de caçadores n.º 5 em 29 de fevereiro de 1860 e serviu até 10 de setembro de 1866. Nesta data foi promovido a segundo tenente. Foi destacado para São Tomé e Príncipe por decreto de 10 de outubro de 1866. Chegou a São Tomé em fevereiro de 1867. Foi nomeado ajudante da fortaleza de São Sebastião da ilha de São Tomé por portaria do governo da província de 15 de março do mesmo ano. Depois passou a chefiar a bateria da ilha do Príncipe como comandante das baterias da ilha.

Completou a sua comissão em São Tomé e Príncipe em 1873. Apresentou-se em Lisboa no dia 24 de dezembro desse ano.

Em 19 de março de 1874, foi promovido a tenente e foi de novo destacado para São Tomé e Príncipe. Entre 30 de Setembro e 20 de Novembro de 1876 ocupou o cargo de diretor interino da Direcção das Obras Públicas de São Tomé e Príncipe foi substituindo Henrique Dias de Carvalho que por motivos de saúde tinha regressado ao reino[1].

Após o cumprimento da comissão, em 26 de março de 1879, foi promovido ao posto de capitão do regimento de infantaria do ultramar[2]. Foi destacado para Cabo Verde por portaria de 4 do mesmo mês e com o cargo de condutor de 2ª classe da direção das obras públicas da província de Cabo Verde. Apresentou-se em Cabo Verde a 26 de dezembro de 1881, proveniente de São Tomé, ficou colocado na cidade da Praia. De 16 janeiro até ao seu regresso ao reino foi nomeado chefe de trabalhos na ilha de Santo Antão. Em abril de 1882 pede para ser exonerado das funções que ocupava nas obras públicas de Cabo Verde e a sua reintegração no exército no regimento de infantaria do reino ao qual pertencia e regressando ao posto de tenente de ocupava anteriormente. Em 12 de julho de 1882, foi-lhe passado a guia de regresso ao reino.

Em 4 de setembro de 1885, foi destacado para servir na província de Angola, como major do exército de Portugal[3].


Outras informações

Obras

Notas

  1. Arquivo Histórico Ultramarino, São Tomé e Príncipe, Obras Públicas, Processos Individuais. cx. 758/1, 1D MU, 1884-1932, "José Pereira de Senna", 20/11/1876.
  2. Diário do Governo n.º 76 de 4 de abril de 1879
  3. Diário do Governo n.º 223 de 5 de outubro de 1885

Fontes

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura, Processos Individuais. Cx753_1_FG. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP753_1

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 03, doc. 04

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 03, doc. 24

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 02, doc. 12

Arquivo Histórico Ultramarino, São Tomé e Príncipe, Obras Públicas, Processos Individuais. cx. 758/1, 1D MU, 1884-1932, "José Pereira de Senna".

Diário do Governo n.º 76 de 4 de abril de 1879

Diário do Governo n.º 223 de 5 de outubro de 1885

Bibliografia

Pires, Fernando. Há Vila Além da Costa, urbanidades em Cabo Verde no século XIX. Coimbra/Lisboa: Imprensa da Universidade de Coimbra e Rosa de Porcelana Editora. 2021.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Fernando Pires

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo