Aula de Geometria e Fortificação de Luanda

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Aula de Geometria e Fortificação de Luanda
(valor desconhecido)
Outras denominações Aula de Geometria e de Artilharia
Tipo de Instituição Ensino militar
Data de fundação 15 janeiro 1699
Data de extinção valor desconhecido
Paralisação
Início: valor desconhecido
Fim: 1764
Localização
Localização Luanda, Luanda, Angola
Início: 20 de julho de 1764
Antecessora valor desconhecido

Sucessora valor desconhecido


História

A Aula de Geometria foi fundada por Ordem Real de 15 de Janeiro de 1699, com três discípulos de partido a sessenta reis por dia[1]. Por falta de mestre, foi rapidamente extinta[2]. Em 1764 foi reativada por D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho, com o objetivo de formar um corpo técnico capaz, com a vantagem de serem recrutados "filhos da terra", adaptados ao clima e às condições locais[3], para o que foram escolhidos "24 Moços Oficiáes, e Sargentos"[4].

Outras informações

Apesar de não serem conhecidos dados concretos, existem indícios que entre 1699 e 1764 a Aula de Fortificação pode ter funcionado brevemente, sendo dela Lente o Sargento mor Engenheiro Cristóvão Martins Figueira (nomeado para ir para Angola em 1719 e tendo lá permanecido até cerca de 1759)[5].

Professores

Quando D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho refundou a Aula de Geometria e Fortificação de Luanda, em 1764, foi Cláudio António da Silveira o responsável por ela, até à sua morte em 1766. Em seguida foi Joaquim Cipriano dos Santos quem assumiu a Aula, até à sua morte em 15 de agosto de 1768. Em 26 de novembro de 1768 foi Manuel António Tavares, formado nesta Aula, quem substituiu Manuel Maria Raynolt como Mestre da Aula, dado que este, vindo do Reino, foi considerado inapto para a função.

Curricula

A Aula de Geometria em Luanda articulava lições de Geometria especulativa e de Geometria prática. O curso organizava-se em 3 anos, com exames trimestrais rigorosos.[6]  

Notas

  1. Rei. Ordem a Luiz Cesar de Menezes para que nesse Reino em que não há Engenheiros, haja Aula em que elle possa ensinar a Fortificação, havendo nella tres discipulos de partido (1699). http://legislacaoregia.parlamento.pt/V/1/9/100/p424.
  2. Arquivo Histórico Ultramarino. «Ofício do [governador e capitão-general de Angola], D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho, ao [secretário de estado da Marinha e Ultramar], Francisco Xavier de Mendonça Furtado». Luanda, Angola, 20 de Julho de 1764. AHU_CU_001, Cx. 50, D. 4576. AHU.
  3. Arquivo Histórico Ultramarino. «Ofício de D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho a Francisco Xavier de Mendonça Furtado». Luanda, Angola, 16 de Dezembro de 1766. AHU_CU_ANGOLA, Cx. 52, D. 4750.
  4. Arquivo Histórico Ultramarino. «Ofício do [governador e capitão-general de Angola, D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho], ao [secretário de estado da Marinha e Ultramar], Francisco Xavier de Mendonça Furtado». Luanda, Angola, 1 de Janeiro de 1765. AHU_CU_ANGOLA, Cx. 50, D. 4613. AHU.
  5. Arquivo Histórico Ultramarino. «Ofício do [sargento-mor engenheiro] Guilherme Joaquim Pais de Meneses, ao [secretário de estado da Marinha e Ultramar] Diogo Mendonça Corte Real». Luanda, Angola, 19 de Abril de 1755. AHU_CU_001, Cx. 43, D. 3993.
  6. Santos, Catarina Madeira. «Um governo polido para Angola: reconfigurar dispositivos de domínio (1750-c.1800)». Tese de Doutoramento em História dos Descobrimentos e da Expansão, Universidade Nova de Lisboa, 2005, p. 441

Fontes

Bibliografia

Ligações Internas

Para consultar as pessoas relacionadas com esta instituição, nomeadamente professores e alunos, siga o link:

Categoria:Aula de Geometria e Fortificação de Luanda

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo