Cláudio António da Silveira

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Cláudio António da Silveira
Nome completo Cláudio António da Silveira
Outras Grafias Claudio Antonio da Silveira
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte 5 junho 1766
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido


Biografia

Dados biográficos

Cláudio António da Silveira, nasceu em Lisboa entre 1736 e 1739 (em 1766 tinha entre 27 e 30 anos)[1]. Foi um dos engenheiros nomeado para ir para Angola a acompanhar D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho, juntamente com Joaquim Cipriano dos Santos. Por instruções do governador de Angola, D. Francisco Inocêncio da Sousa Coutinho, ensinava publicamente Engenharia e Geometria na recém (re)fundada Aula de Geometria e Fortificação de Luanda. Faleceu em Luanda, Angola, a 5 de junho de 1766, solteiro e sem filhos, tendo sido sepultado na Sé da mesma cidade.[1]

Carreira

Discípulo na Aula Militar, foi nomeado Ajudante engenheiro por decreto de 12 de abril de 1762[2]. Por atenção ao seu merecimento e serviços, foi promovido a sargento-mor de infantaria com exercício de engenheiro e soldo dobrado, a 24 de setembro de 1763, para ir servir por seis anos no reino de Angola[3]. Em Angola foi mestre na Aula de Geometria e Fortificação de Luanda e foi enviado a Encoge.

Outras informações

Quando faleceu, em 5 de junho de 1766, estavam a decorrer diligências para habilitação de Cláudio António da Silveira pela Mesa do Santo Ofício da Inquisição de Lisboa, no sentido de saber se era "capaz de servir ao S. Off.o em negocio, de supozição e segredo, e se entende dará boa conta do que lhe forem encarregados". O comissário responsável determinou "ser de genio docil, taciturno, e de boa indole, e mercedor do que pretendia: a constar ser de limpo sangue"[1].

Obras

Notas

  1. 1,0 1,1 1,2 Torre do Tombo. «Diligência de habilitação de Cláudio António da Silveira». Luanda, Angola, 10 de Julho de 1766. Tribunal do Santo Ofício, Conselho Geral, Habilitações Incompletas, doc. 1122 [PT/TT/TSO-CG/A/008-002/1122]. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. http://digitarq.arquivos.pt/viewer?id=2345147.
  2. Sepúlveda, Christovam Ayres de Magalhães. História, organica e politica do exercito português. Vol. VIII, 580.
  3. Viterbo, Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal, Vol III, 48.

Fontes

Bibliografia

Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Histórico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal. Vol III. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1922.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo