Custódio Pereira

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Custódio Pereira
Nome completo Custódio Pereira
Outras Grafias valor desconhecido
Pai valor desconhecido
Mãe valor desconhecido
Cônjuge valor desconhecido
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento valor desconhecido
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião Cristã
Residência
Residência São Luís, Maranhão, Brasil
Data Início: 1692
Fim: 1693

Residência Belém, Pará, Brasil
Data Início: 1693
Fim: 1704

Residência São Luís, Maranhão, Brasil
Data Início: 1704
Formação
Formação Engenharia Militar
Local de Formação Lisboa, Lisboa, Portugal
Postos
Posto Capitão Engenheiro
Data Início: 26 de outubro de 1691
Fim: 1705
Arma Infantaria

Posto Sargento-mor
Data Início: 19 de outubro de 1705
Fim: 1712
Arma Infantaria

Posto Tenente-coronel
Data Início: 1712
Arma Artilharia
Cargos
Cargo Aprendiz
Data Fim: 1691
Actividade
Actividade Vistoria
Data Início: 1692
Fim: 1692
Local de Actividade São Luís, Maranhão, Brasil

Actividade Desenho de fortificação
Data Início: 1693
Fim: 1693
Local de Actividade Rio Negro, Amazônia

Actividade Reparação
Data Início: 1694
Fim: 1694

Actividade Desenho de fortificação
Data Início: 1704
Fim: 1718
Local de Actividade São Luís, Maranhão, Brasil

Actividade Desenho de arquitectura
Data Início: 1711
Fim: 1718
Local de Actividade São Luís, Maranhão, Brasil


Biografia

Dados biográficos

Até ao momento não nos foi possível determinar o local e a data de nascimento de Custódio Pereira, que foi aluno com partido da Aula de Fortificação Lisboa.

Carreira

Em consulta do Conselho Ultramarino, datada de 13 de outubro de 1691, Francisco Pimentel indicou o seu nome, em primeiro lugar, para o posto de capitão engenheiro no Estado do Maranhão. Afirmava que ele “estava aprovado e examinado por duas vezes na junta dos três estados, donde se lhe prorrogara por mais três anos o partido que se lhe dá por aquela repartição, com condição de ir para qualquer parte donde sua Majestade o mandasse”[1]. Afirmava ainda que todos os indicados tinham a “vantagem de não terem só préstimos para a engenharia, mas também para a infantaria por se acharem bastantemente instruídos nos preceitos da disciplina militar e manejo dos esquadrões”[1].   

Foi nomeado capitão engenheiro da capitania do Maranhão em 26 de outubro de 1691, sucedendo a Pedro de Azevedo Carneiro, que regressara a Portugal[2]. Logo à chegada, em 1692, foi mandado à vila de Tapuitapera, Alcântara, onde elegeu o sítio para a construção de uma fortaleza que defendesse a entrada da barra, examinando também o fundo do canal e o surgidouro. Passou depois para a capitania do Pará “a tratar da fábrica das fortificações da cidade de Belém e das do rio das Amazonas, rio Negro para fazer uma casa forte na boca dele e para examinar o que ere necessário para a reedificação da fortaleza do Gurupá, o que executou prontamente desenhando no dito rio Negro a dita casa e assistindo à sua manufatura[3]. Relativamente à fortaleza de Gurupá afirma que desenhou “da mesma maneira a obra de que necessitava aquela praça”[3].

Em 1704, no contexto da guerra da sucessão espanhola, Custódio Pereira retornou ao Maranhão encarregando-se da defesa da vila de Santo António de Alcântara “desenhando três fortes que se fizeram nas partes mais convenientes para a defesa da barra repartindo neles sete peças de artilharia"[2]. Faz ainda outras obras como trincheiras, um armazém para se recolher pólvora e munições, intervenções no baluarte de São Damião, na praia da cidade de São Luís, assim como reparos e consertos na fortaleza do rio Itapecuru. 

Tendo em conta os seus serviços, foi provido no posto de sargento-mor do Estado do Maranhão em 19 de outubro de 1705, também por falecimento do antecessor Lucas da Silva Serrão[2]. A sua carta patente não só determinava que Custódio Pereira se mantivesse “com a obrigação de engenheiro”, como também “que será obrigado a ensinar a pessoas que quiserem aprender a engenheiros sem por isso levar salário algum, por ser em utilidade daquele estado”[2].

Em 1711, remeteu uma petição para ser provido no posto de tenente general da artilharia da capitania do Maranhão. Cita o exemplo de José Velho de Azevedo, que servia de engenheiro e sargento-mor da capitania do Pará, que tinha recebido a patente de tenente general de artilharia, “ficando sujeito a continuar na obrigação de engenheiro”[4]. O parecer do conselho é positivo, confirmando que se deveria atender o pedido “com declaração que ficará com os mesmos exercícios que tinha assim como obrigações de engenheiro (...) pois não haverá sujeito que o iguale para este serviço pela sua ciência”[4]. Sobre este aspeto, pode ser consultada mais informação na entrada sobre a Aula de Fortificação de São Luís.

Na petição afirmava ter trabalhado na construção dos baluartes novos que se fizeram em São Luís, assim como no “Palácio novo, casa da pólvora e casa da alfândega fazendo rascunhos para todas estas obras”[4].

Custódio Pereira desenhou a antiga Sé de São Luís, sobre a qual Sousa Viterbo cita uma provisão do governador do Maranhão datada de 30 de maio de 1718, em que se afirmava que o “capitão Manuel Monteiro de Carvalho se oferecia a tomar por sua conta a obra da nova igreja da Sé da cidade de São Luís e manda que faça de novo à custa da fazenda real na forma da planta que o tenente general engenheiro Custódio Pereira a fez”[2].

Outras informações

Obras

No Arquivo Histórico Ultramarino, constam duas plantas, que podem ser da autoria de Custódio Pereira:

Planta da Fortaleza que se a de fazer na Barra de Sam Luiz de Maranhão... – Escala [ca. 1:200] – anno de 1718. – 1 planta ms.: desenho a tinta ferrogálica ; 42,2 x 43,7cm em folha 43,3 x 45cm. (AHU, CARTm_009, d. 0830).

Planta da Fortaleza que se a de fazer na Barra de San Luiz de Maranhão ... – Escala [ca.1:200] – anno de 1718. – 1 planta ms.: desenho a tinta ferrogálica ; 49 x 41cm. (AHU, CARTm_009, d. 0831).

Notas

  1. 1,0 1,1 Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 8, d. 845. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. Pedro II, sobre a nomeação de Custódio Pereira para engenheiro e a necessidade de nomeação de um ajudante engenheiro. Lisboa, 13 de Outubro de 1691.
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 Viterbo, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, 2:234-244.
  3. 3,0 3,1 Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 10, d. 1063. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. Pedro II, sobre a nomeação de Custódio Pereira para o posto de sargento-mor de infantaria da capitania do Maranhão. Lisboa, 18 de Junho de 1703.
  4. 4,0 4,1 4,2 Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 11, d. 1131. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. João V, sobre a petição do sargento-mor da infantaria paga do Estado do maranhão, Custódio Pereira, para que se lhe passe patente do posto de tenente general da artilharia do mesmo Estado. Lisboa, 23 de novembro de 1711.

Fontes

Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 8, d. 845. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. Pedro II, sobre a nomeação de Custódio Pereira para engenheiro e a necessidade de nomeação de um ajudante engenheiro. Lisboa, 13 de Outubro de 1691.

Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 10, d. 1063. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. Pedro II, sobre a nomeação de Custódio Pereira para o posto de sargento-mor de infantaria da capitania do Maranhão. Lisboa, 18 de Junho de 1703.

Arquivo Histórico Ultramarino, ACL_CU_009, cx. 11, d. 1131. Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. João V, sobre a petição do sargento-mor da infantaria paga do Estado do maranhão, Custódio Pereira, para que se lhe passe patente do posto de tenente general da artilharia do mesmo Estado. Lisboa, 23 de novembro de 1711.

Bibliografia

Araujo, Renata. As Cidades da Amazónia no século XVIII: Belém, Macapá e Mazagão. Porto: Faup, 1998.

Viterbo, Francisco de Sousa. Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portugueses ou a serviço de Portugal. Vol. 2. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1904.

Autor(es) do artigo

Renata Araújo

CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa e Universidade do Algarve

https://orcid.org/0000-0002-7249-1078

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/7psd-cxak

Citar este artigo

Araújo, Renata. "Custódio Pereira", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 10/08/2023). Consultado a 18 de abril de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Cust%C3%B3dio_Pereira. DOI: https://doi.org/10.34619/7psd-cxak