José Emílio Castelo Branco

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


José Emílio Castelo Branco
Nome completo José Emílio de Santana da Cunha Castelo Branco
Outras Grafias Sant’Anna da Cunha Castel-Branco
Pai José Manuel de Sant’anna da Cunha Castelo Branco
Mãe Emilia Balbina de Sant’anna
Nascimento 11 de julho de 1849
[[Lisboa, Lisboa, Portugal]]
Morte 01 de março de 1920
[[Lisboa, Lisboa, Portugal]]
Residência
Residência [[Lisboa, Lisboa, Portugal]]
Data Fim: janeiro de 1904

Residência [[Lisboa, Lisboa, Portugal]]
Data Início: 1908
Fim: fevereiro de 1909

Residência [[França]]
Data Início: fevereiro de 1909
Fim: junho de 1910
Formação
Formação Curso Geral
Data Início: julho de 1868
Instituição de Formação [[Escola Politécnica de Lisboa]]

Formação Engenharia Militar
Data Início: 02 de outubro de 1869
Fim: 1872
Instituição de Formação [[Escola do Exército]]
Cargos
Cargo Engenheiro
Data Início: 1875
Instituição [[Ministério das Obras Públicas]]

Cargo Professor
Data Início: outubro de 1880
Fim: outubro de 1893
Instituição [[Escola do Exército]]
Actividade
Actividade Caminho de Ferro da Beira Alta
Data Início: 1875

Actividade Projecto de Saneamento e Limpeza
Data Início: 1879
Local de Actividade [[Lisboa, Lisboa, Portugal]]

Actividade Hidráulica Agrícola
Data Início: janeiro de 1904
Local de Actividade [[Goa, Índia]]

Actividade Inspecção
Data Início: 1905
Local de Actividade [[Macau]]

Data Início: outubro de 1906
Local de Actividade [[Timor]]


Biografia

Dados biográficos

Nota: ref. bibliog. para a nomeação para prof. da Escola do Exército: Governo Português (22 de Setembro de 1890). "Decreto de 12 de Setembro de 1890", Diário do Governo, 215, 2214.

Carreira

Estudou na Escola do Exército em Lisboa. Em 1875, trabalhou para o Ministério das Obras Públicas nos estudos do Caminho-de-Ferro da Beira Alta. Depois de uma missão pelo estrangeiro foi encarregue de estudar o problema do saneamento e limpeza da cidade de Lisboa. Foi também docente da Escola do Exército. Trabalhou em Angola na Missão chefiada por Rafael Gorjão. Foi enviado para a Índia por ser especialista em Hidráulica Agrícola, chegou a Goa em Janeiro de 1904. Em 1905, fez uma viagem de inspecção ás Obras Públicas e Militares de Macau, onde trabalhou nos projectos do Porto de Macau; saiu da Índia a 31 de Março de 1906, rumo à Birmânia, e em Outubro de 1906 foi oficialmente transferido para Timor. Foi Governador Interino de Macau. Termina as suas comissões nas colónias em 1908.

Outras informações

Obras

Notas


Fontes

Correspondência e Ofícios de José Emílio Cunha Castelo Branco. In AHU. Nº Ordem 327. Cód. 2G. Galvão, Alexandre Lopes. A Engenharia Portuguesa na moderna obra da colonização. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1940, p. 39, 234-237.

Norton, José. Norton de Matos – Biografia. Lisboa: Bertrand, 2002, p.141-142.

Peres, Damião; Cerdeira, Euleutério (coord.). História de Portugal. Porto: Portucalense Editora, 1954, Vol. VII, p. 557.

Processos relativos a José Emílio Cunha Castelo Branco. 1906/1917. In AHU. Nº Ordem 336. Cód. 2G.

Relatório 1917-1918. Caetano M. Amorim. In AHU. Nº Ordem 258. Cód. 2G, p. 4-5.

Bibliografia

Galvão, João Alexandre Lopes. A Engenharia Portuguesa Na Moderna Obra de Colonização. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1940, 235-237.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo