Francisco Henriques

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


Francisco Henriques
Outras Grafias EQUAL
Morte 1518
[[Lisboa]]
Sexo masculino

Biografia

Dados biográficos

Possivelmente de ascendência portuguesa, Francisco Henriques encontrava-se em Portugal em 1509, ano em que D. Manuel escreve uma carta em que se menciona que ele ia executar pinturas em S. Francisco de Évora, o que ainda estava a fazer em julho de 1510.

Era casado com uma irmã de Jorge Afonso. Uma das suas filhas casou com Garcia Fernandes.

No processo movido por Garcia Fernandes para se tornar selador, fiel e pesador da alfândega de Lisboa fica-se a saber que Francisco Henriques fora pintor régio e passavante. Em 1518 estava a trabalhar nas obras da Relação de Lisboa, na qual também trabalharam Garcia Fernandes, Cristóvão de Figueiredo, André Gonçalves e Gregório Lopes, e fora mandado pintar as bandeiras para a entrada da rainha D. Leonor de Áustria em Lisboa, quando a peste chegou. Francisco Henriques quis-se retirar de Lisboa com os oficiais flamengos que tinha a trabalhar consigo, mas D. Manuel não o autorizou, acabando o pintor e sete ou oito dos seus oficiais por morrer contagiados. Foi sucedido nas suas obras por Garcia Fernandes[1].

Carreira

Outras informações

Obras

Referências bibliográficas

  1. Viterbo, Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal, 94.

Bibliografia e Fontes

  • Carvalho, José Alberto Seabra. "Pintura Luso-Flamenga em Évora no início do século XVI. O Mestre da Lamentação da Oficina do Espinheiro"." A Cidade de Évora 71-72 (1988/1994).
  • Carvalho, José Alberto Seabra. "Estudo sobre proveniências do Museu Nacional de Arte Antiga", Trabalho de estágio, 1991 (inédito).
  • Carvalho, José Alberto Seabra, Carvalho, Maria João Vilhena. A Espada e o Deserto. Pintura e Escultura das Reservas. Lisboa: Museu Nacional de Arte Antiga, 2002.
  • Couto, João. A pintura flamenga em Évora no século XVI: Variedades de estilos e de técnicas na obra atribuída a Frei Carlos. Lisboa: Editorial Império, 1943.
  • Couto, João (prefácio). Roteiro das Pinturas. Lisboa: Museu Nacional de Arte Antiga, 1956 (2ª edição).
  • Dias, Pedro (ed.). No tempo das feitorias: a arte portuguesa na época dos Descobrimentos.. Lisboa : Museu Nacional de Arte Antiga, 1992.
  • Espanca, Túlio. Inventário Artístico de Portugal. Concelho de Évora. Vols. I-II. Lisboa: Academia Nacional Belas Artes, 1966.
  • Figueredo, José. "Introdução a um Ensaio sobre a Pintura Quinhentista em Portugal." Boletim de Arte e Arqueologia I (1921).
  • Freire, Luciano. "Francisco Henriques, notável pintor de D. Manuel, era português." Terra Portuguesa IV. Lisboa: 1917.
  • Gonçalves, Flávio. "A Representação Artística dos Mártires de Marrocos. Os mais antigos exemplos portugueses." Museu 2, nº6, 1963
  • Gouveia, António Camões (coord.). Francisco Henriques: um pintor em Évora no tempo de D. Manuel I. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses/Évora: Câmara Municipal, 1997.
  • Markl, Dagoberto, Pereira, Fernando António Baptista. História da Arte em Portugal, Vol. VI. O Renascimento. Lisboa: Alfa, 1986.
  • Markl, Dagoberto. "A Pintura no Período Manuelino. Os Ciclos: das oficinas à iconografia", In História da Arte Portuguesa direcção de Paulo Pereira. Lisboa: Círculo de Leitores, 1995.
  • Mendonça, Maria José. Catálogo da exposição de Primitivos Portugueses. Lisboa: Museu Nacional de Arte Antiga, 1940.
  • Puyvelde, Léo van. Les primitifs portugais et la peinture flamande. Lisboa: Tipografia Minerva, 1949.
  • Reis-Santos, Luís. Obras-primas da Pintura Flamenga dos séculos XV e XVI em Portugal. Lisboa: Luís Reis-Santos, 1953.
  • Rodrigues, Dalila (coord.). Grão Vasco e a pintura europeia do Renascimento. Lisboa: IPM, 1992.
  • Rodrigues, Dalila. "A Pintura do Período Manuelino." In História da Arte Portuguesa direcção de Paulo Pereira, Vol. II. Lisboa: Círculo de Leitores, 1995.
  • Santos, Reinaldo. "O pintor Francisco Henriques: identificação da obra e esboço crítico da sua personalidade artística." Belas artes 1, nº 4 (1938): 4-38.
  • Santos, Reinaldo. "Uma nova tábua de Francisco Henriques." Belas artes 7 (1940): 12-14.
  • Santos, Reinaldo. "O Mestre do tríptico Costa é Francisco Henriques". Belas artes 2, nº4 (1952): 15-17.
  • Santos, Reinaldo. Os primitivos portugueses. Lisboa: Academia Nacional de Belas Artes, 1958.
  • Santos, Reinaldo. Oito Séculos de Arte Portuguesa. História e Espírito. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1965.
  • Serrão, Vítor. A Imagem do Império: Do Outono da Idade Média ao Limiar do Barroco (1450-1600). Lisboa: INCM, 1991-
  • Serrão, Vítor. "Francisco Henriques e a magna fábrica dos retábulos do Mosteiro de São Francisco de Évora (1509-1511)." Monumentos 17 (Setembro 2002): 43-51.
  • Teixeira, José Carlos da Cruz, "A Pintura Renascentista Portuguesa. Ensaio de Caracterização". Tese de Doutoramento, Universidade Nova de Lisboa, 1991.
  • Viterbo, Francisco de Sousa. Notícia de Alguns Pintores Portuguezes e de outros que sendo estrangeiros exerceram a sua arte em Portugal. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1903.

Ligações Externas


Autor(es) do artigo

DOI

Citar este artigo