António Xavier Crato

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


António Xavier Crato
Nome completo António Xavier Crato
Outras Grafias valor desconhecido
Pai José Xavier Crato
Mãe Henriqueta Maria da Conceição Crato
Cônjuge Maria Amélia de Carvalho Crato
Filho(s) valor desconhecido
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 15 setembro 1849
Guiné-Bissau
Morte valor desconhecido
Sexo Masculino
Religião valor desconhecido
Residência
Residência Cabo Verde
Data Início: 1877
Fim: 1889

Residência Angola
Data Início: 1889
Formação
Formação Condutor de obras
Data Início: 1872
Fim: 1889
Local de Formação Lisboa, Portugal
Postos
Posto Alferes
Data Início: 1877
Fim: 1884
Arma Infantaria

Posto Tenente
Data Início: 1884
Fim: 1885
Arma Infantaria


Biografia

Dados biográficos

António Xavier Crato nasceu em Cacheu, distrito da Guiné Portuguesa, a 15 de setembro de 1849. Filho de José Xavier Crato e de Henriqueta Maria da Conceição Crato. Casou-se com Maria Amélia de Carvalho Crato. Teve 2 filhos, o José que nasceu a 14 de outubro de 1877, e o Júlio que nasceu a 10 de outubro de 1879. Foi aluno do Real Colégio Militar e frequentou a Universidade Coimbra. Completou o 1º ano da Escola do Exército excetuando a cadeira de Topografia. Faleceu em Lisboa em 30 de novembro de 1919.

Carreira

Assentou praça, em Lisboa, como voluntário, no Batalhão de Caçadores n.º 5 do Exército de Portugal em 18 de outubro de 1867.

Em 28 de maio de 1872 foi promovido ao posto de alferes e nomeado condutor de obras públicas de Cabo Verde. Desembarcou em Cabo Verde em julho do mesmo ano.

Em outubro de 1873 foi designado para substituir o major engenheiro Augusto de Miranda Montenegro na Direcção das Obras Públicas de Cabo Verde, cargo que assumiu até janeiro de 1874, data que entregou a direção ao Capitão engenheiro Manuel Rafael Gorjão. Em fevereiro de 1876 voltou a ser requisitado para assumir a Direcção das Obras Públicas de Cabo Verde, para substituir o mesmo capitão engenheiro que o sucedera. Ocupou o cargo até agosto desse ano, data em que entregou a direção ao novo diretor engenheiro Claudino de Sousa e Faro.

Após o cumprimento de duas comissões de serviço nas obras públicas de Cabo Verde, em maio de 1877, seguiu para o reino em gozo de licença. Em setembro de 1877 foi nomeado Condutor de 1ª Classe e apresentou-se novamente em Cabo Verde, para cumprir uma nova comissão em 15 de dezembro de 1877. Em dezembro de 1881, após ter completado 16 anos de serviço, requereu a medalha de prata por comportamento exemplar que lhe foi concedida em março de 1882.

Em dezembro de 1884, solicita a sua promoção ao posto de tenente. Em 1885 foi promovido a tenente. Em julho de 1886 foi agraciado com o grau de Cavaleiro de Ordem Militar de Nosso senhor Jesus Cristo. Em 1887 foi promovido ao posto de Capitão de Infantaria. Por decreto de 7 de março de 1889, com o posto de major de exército de Portugal, foi nomeado governador do distrito de Sofala em Angola[1].


Outras informações

Obras

Além de ter dado continuidade às iniciativas de Montenegro, retomou as obras do mercado e do quartel, avançou com o calcetamento dos passeios do largo da igreja e da Rua do Lencastre e concluiu a obra da secagem dos pântanos faltando apenas completar os esgotos para o mar.

Notas

  1. Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura, Processos Individuais. Cx753_2. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP753_2

Fontes

AHU, N. Ordem 905 1N SEMU DGU, "Livro 1880-1892 Registo de Pessoal das Obras Públicas ULT", p. 1v, 2f.

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura, Processos Individuais. Cx753_2. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP753_2

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14533 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14534 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14532 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14533 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14531 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14530 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14529 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14528 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Ultramarino. Cabo Verde, Obras Públicas e Agrimensura. Cx240. Cota: PT/AHU/ID-OP/OP14527 - 12/Cx240

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 617, pasta 01, doc. 101

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 617, pasta 02, doc. 012

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 617 pasta 02, doc. 118

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 02, doc. 46

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 03, doc. 23

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 03, doc. 75

Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde, Secretaria Geral do Governo, cx. 619, pasta 03, doc. 03

Bibliografia

Pires, Fernando. Há vila além da costa. Urbanidade(s) em cabo Verde no século XIX. Coimbra, Lisboa: Imprensa da Universidade de Coimbra, Rosa de Porcelana Editora, 2021.

Ligações Externas

Autor(es) do artigo

Fernando Pires

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

Citar este artigo