João Carlos Ribeiro

From eViterbo
Jump to navigation Jump to search


João Carlos Ribeiro
Nome completo João Carlos Ribeiro
Outras Grafias valor desconhecido
Pai Joaquim José Ribeiro
Mãe Maria Libânia da Silva Ribeiro
Cônjuge Emília Adelaide Heitor da Silva Ribeiro
Filho(s) Fernando Augusto Heitor Ribeiro, João Carlos Ribeiro (filho), Alda Ribeiro, Amélia Ribeiro
Irmão(s) valor desconhecido
Nascimento 22 janeiro 1843
Faro, Portugal
Morte 3 março 1882
Luanda, Luanda, Angola
Sexo Masculino
Religião Cristã
Residência
Residência Moçambique
Data Início: dezembro de 1869
Fim: maio de 1879

Residência Guiné-Bissau
Data Início: maio de 1879
Fim: abril de 1880

Residência Lisboa, Lisboa, Portugal
Data Início: abril de 1880
Fim: agosto de 1880
Formação
Data Fim: 1861
Local de Formação Lisboa, Lisboa, Portugal

Data Início: 1861
Fim: 1865
Local de Formação Lisboa, Lisboa, Portugal

Data Início: 1861
Fim: 1865
Local de Formação Lisboa, Lisboa, Portugal
Postos
Posto Alferes
Data Início: 1865
Fim: 1872
Arma Infantaria

Posto Tenente
Data Início: abril de 1872
Fim: agosto de 1876
Arma Infantaria

Posto Capitão
Data Início: agosto de 1876
Fim: julho de 1878
Arma Infantaria
Cargos
Cargo Condutor de 1ª classe
Data Início: dezembro de 1869
Fim: maio de 1879

Cargo Director
Data Início: maio de 1879
Fim: setembro de 1880

Cargo Chefe de secção
Data Início: setembro de 1880
Fim: dezembro de 1880

Cargo Director
Data Início: dezembro de 1880
Fim: março de 1881
Actividade
Actividade Missão
Data Início: setembro de 1881


Biografia

Dados biográficos

João Carlos Ribeiro nasceu a 22 de Janeiro de 1843 em Sagres, Vila do Bispo, e foi baptizado a 21 de Fevereiro em Nossa Senhora da Graça da vila de Sagres[1]. Era filho legítimo de Joaquim José Ribeiro, natural da referida freguesia[2], major, governador da Praça de Sagres, e de Dona Maria Libânia da Silva Ribeiro, natural de Santa Engrácia, Lisboa. Era neto paterno de José Ribeiro Tomás, natural de Sagres, e de Dona Teresa Joaquina, natural de Vila do Bispo, e neto materno de José Ribeiro Tomás, natural de Sagres, e de Dona Maria Joaquina da Silva Ribeiro, natural de Torres Vedras[1].

A 27 de Julho de 1867 - então alferes do Batalhão de Caçadores nº 5, morador na freguesia dos Anjos em Lisboa[2] -, casou, na freguesia de Santa Catarina de Lisboa, com Dona Emília Adelaide da Silva Heitor de 14 anos, filha legítima de Joaquim Carlos da Silva Heitor, tenente do Exército português, e de Dona Genoveva Augusta Lobato Heitor, todos naturais e residentes em Lisboa[3]. Do seu casamento resultou o nascimento dos seguintes filhos: Fernando Augusto Heitor Ribeiro[4], João Carlos Ribeiro[5], Alda Ribeiro e Amélia Ribeiro[6].

Falava francês[2]

Faleceu em Luanda, Angola, no dia 3 de Março de 1882[6][7].

Carreira

João Carlos Ribeiro realizou a sua formação inicial no Colégio Militar, onde foi aluno premiado. Terminou o curso da arma de Infantaria em 1861 e em Agosto do mesmo na assentou praça no Batalhão de Caçadores nº 5. Continuou os seus estudos com a frequência dos cursos de Infantaria e Cavalaria na Escola do Exército, que concluiu em 1865[8]. Foi-lhe descontado, no tempo de serviço efectivo, o período de frequência dos estudos. A saber: a saber: de 4 de Outubro de 1861 a 5 de Maio de 1862, de 3 de Outubro de 1862 a 3 de Junho de 1863, e de 3 de Outubro de 1863 a 3 de Junho de 1864[9]. Tornou-se alferes a 10 de Janeiro de 1866 no Regimento nº 5[10][11].

Começou a desempenhar o cargo de condutor de 1ª classe nas Obras Públicas de Moçambique em Dezembro de 1869.

Em Abril de 1872 foi promovido ao posto de tenente[7]. Em Agosto de 1876 foi promovido a capitão e requisitado pelo Ministério da Guerra. José Carlos Ribeiro permaneceu em Moçambique durante dois anos, tendo sido promovido ao posto de major em Julho de 1878. Após aquele período, pediu a exoneração para evitar que fosse suspenso[12]. Essa situação resultou do seu grave comportamento quando incumbido das obras e fiscalização dos Caminhos de Ferro de Lourenço Marques. Segundo o governador geral, "O Major Ribeiro entregava-se aos jogos proibidos, arrastando os mesmos vícios a alguns empregados das obras públicas; abandonava as obras, cuja fiscalização lhe estava incumbida; promovia constantes questões com outros funcionários e com alguns habitantes". Ademais, devia avultadas quantias de dinheiro à Fazenda[13]. Em consequência disto, o diretor das Obras Públicas de Moçambique, Joaquim José Machado, redigiu uma informação referindo que tinha perdido a confiança em João Carlos Ribeiro, alegando que o condutor não cumpria as suas ordens, era desleixado e pouco assíduo. Conduta que levou a que se cometessem erros dispendiosos de reparar, causado manifesto prejuízo na execução das obras e que, por isso mesmo, estava decidido a ordenar a sua demissão[14].

Após o seu pedido de exoneração ter sido aceite, apresentou-se no Ministério da Marinha, em Maio de 1879. Foi transferido para as Obras Públicas da Guiné, onde trabalhou, em Bolama, durante sete meses como diretor interino. As febres endémicas da região levaram-no a requerer transferência para servir em outra possessão colonial portuguesa. Porém, o comportamento pouco exemplar que João Carlos Ribeiro demonstrou, novamente, no cumprimento das suas funções, desta vez na Guiné, obstaculizou esse processo[15]. O seu desempenho voltou a ser alvo de crítica negativa, desta vez pelo governador da Guiné, em Julho de 1879. No parecer do governador foi inclusivamente proposto que o vencimento auferido por João Ribeiro fosse diminuído no próximo cargo que desempenhasse. Quando o governador de Cabo Verde, que havia oferecido o cargo de subdiretor a João Carlos Ribeiro, teve conhecimento do sucedido, recuou na sua proposta[16].

João Carlos Ribeiro regressou à Europa em Abril de 1880 com licença da Junta de Saúde Naval, acabando por ser estendida até Agosto. Em Setembro desse ano, encontrava-se em Luanda, Angola. Posteriormente, foi enviado para Moçâmedes, por ser a localidade de clima mais ameno do Ultramar, onde trabalhou como chefe daquela circunscrição de obras públicas. De Dezembro de 1880 até Março de 1881 desempenhou o cargo de diretor interino das Obras Públicas de Angola, em consequência de ter regressado ao reino o seu diretor efetivo[7].

Em Setembro de 1881 partiu para protagonizar a sua célebre comissão no Congo, tendo sido encarregado pelo governo português de comandar a "missão civilizadora" em São Salvador do Congo. A revista O Ocidente, de 1883, descreve minuciosamente os acontecimentos durante a permanência do major João Carlos Ribeiro no Congo[17].

Outras informações

Após a sua morte, em 1882, o quadro das Obras Públicas de Angola sofreu profundas alterações. Por exemplo, Serafim Soares Coelho também conhecido por Serafim Duarte Soares Coelho, condutor de 1ª classe, e Henrique Augusto Dias de Carvalho, condutor de 2ª classe, terminaram o seu tempo de serviço em Angola e regressaram a Lisboa. Os seus lugares foram ocupados por José Fortunato Calais, condutor de 1ª classe, e João Maria Barreiros Arrobas, condutor de 2ª classe e major do exército da África Ocidental[18].

Segundo Romano Torres, a proficiência de João Carlos Ribeiro nas disciplinas de desenho e ginástica levou-o a dedicar o seu tempo vago ao seu ensino em colégios e casas particulares, sendo inclusive mencionado como "professor no Colégio Militar"[7].

Notas

  1. 1,0 1,1 Arquivo Distrital de Faro. Vila do Bispo. Paróquia de Nossa Senhora da Graça (Sagres). Baptismos, 1-1-1813/31-12-1861, fl. 64.
  2. 2,0 2,1 2,2 Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Tabela sobre João Carlos Ribeiro de 1880.
  3. Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Lisboa, Paróquia de Santa Catarina, Casamentos 1866-1875, fl. 50v.-51, n.º 36.
  4. Arquivo Histórico Militar. Livros de Mestres. Arma de Infantaria. Regimento de Infantaria n.º 16, liv. 59, Livro de Matrícula do Pessoal do Regimento de Infantaria n.º 16, 2º Batalhão de Praças de Pret, de 1902. "Fernando Augusto Heitor Ribeiro".
  5. Edital de 29 de Maio de 1906, Diário do Governo, no. 121, 31 de Maio de 1906, 1866.
  6. 6,0 6,1 Edital, Diário do Governo, no. 57, 13 de Março de 1883, 603.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 Torres, "Ribeiro (João Carlos)", 4:262-263.
  8. Arquivo Histórico Militar. Lista dos Alunos das Escolas Militares - Academia de Fortificação, Escola do Exército, Escola de Guerra e Escola Militar (1790 a 1940).
  9. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral do Exército, liv. 32, n.º 278. Lista de antiguidades dos alferes de Infantaria. 1870.
  10. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral de Infantaria, liv. 7, n.º 494. Lista dos sargentos ajudantes, porta bandeiras e 1ºs sargentos de Infantaria por antiguidades do posto de 1º sargento.1846-1866.
  11. Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral do Exército, liv. 28, n.º 390. Lista de antiguidades dos alferes de Infantaria. 1867.
  12. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Pedido de exoneração de João Carlos Ribeiro, 1879".
  13. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Depoimentos sobre João Carlos Ribeiro de 1879, Obras Públicas de Moçambique”.
  14. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Desempenho de João Carlos Ribeiro nas Obras Públicas de Moçambique”.
  15. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Desempenho de João Carlos Ribeiro nas Obras Públicas da Guiné”.
  16. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Tabela sobre João Carlos Ribeiro de 1880, Obras Públicas da Guiné”.
  17. "O Major João Carlos Ribeiro e a sua comissão no Congo", 115-118.
  18. Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Carta sobre a morte de João Carlos Ribeiro, 1882”.

Fontes

Arquivo Distrital de Faro. Vila do Bispo. Paróquia de Nossa Senhora da Graça (Sagres). Baptismos, 1-1-1813/31-12-1861, fl. 64.

Arquivo Histórico Militar. Lista dos Alunos das Escolas Militares - Academia de Fortificação, Escola do Exército, Escola de Guerra e Escola Militar (1790 a 1940).

Arquivo Histórico Militar. Livros de Mestres. Arma de Infantaria. Regimento de Infantaria nº 16, liv. 59, Livro de Matrícula do Pessoal do Regimento de Infantaria nº 16, 2º Batalhão de Praças de Pret, de 1902. "Fernando Augusto Heitor Ribeiro".

Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral do Exército, liv. 7. Lista dos sargentos ajudantes, porta bandeiras e 1ºs sargentos de Infantaria por antiguidades do posto de 1º sargento, nº 494. 1846-1866.

Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral do Exército, liv. 28, nº 390. Lista de antiguidades dos alferes de Infantaria. 1867.

Arquivo Histórico Militar. Livros Mestres. Estações Superiores do Exército. Comando Geral do Exército, liv. 32, nº 278. Lista de antiguidades dos alferes de Infantaria. 1870.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Carta sobre a morte de João Carlos Ribeiro, 1882”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Depoimentos sobre João Carlos Ribeiro de 1879, Obras Públicas de Moçambique”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Desempenho de João Carlos Ribeiro nas Obras Públicas da Guiné”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Desempenho de João Carlos Ribeiro nas Obras Públicas de Moçambique”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Tabela sobre João Carlos Ribeiro de 1880, Obras Públicas da Guiné”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Tabela sobre João Carlos Ribeiro de 1880, Obras Públicas de Angola”.

Arquivo Histórico Ultramarino. 768/1. 1D. MU. Cx. 1876-1932. Processos Individuais. ANG. "João Carlos Ribeiro - Pedido de exoneração de João Carlos Ribeiro, 1879".

Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Lisboa. Paróquia de Santa Catarina. Casamentos, 1866-1875, fl. 50v.-51, nº 36.

Edital, Diário do Governo, no. 57, 13 de Março de 1883, 603.

Edital de 29 de Maio de 1906, Diário do Governo, no. 121, 31 de Maio de 1906, 1866.

"O Major João Carlos Ribeiro e a sua comissão no Congo". O Ocidente: Revista Illustrada de Portugal e do Estrangeiro 6, no. 159 (21 Maio, 1883): 115-118.

Bibliografia

Torres, João Romano (ed.). "Ribeiro (João Carlos)". Em Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico, 4:262-263. Lisboa: João Romano Torres, 1912.

Autor(es) do artigo

Mariana Nicolau

https://orcid.org/0000-0002-1454-1794


Sandra Osório da Silva

Departamento de História, FCSH, Universidade Nova de Lisboa

https://orcid.org/0000-0001-7529-5008

Financiamento

Fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto TechNetEMPIRE | Redes técnico-científicas na formação do ambiente construído no Império português (1647-1871) PTDC/ART-DAQ/31959/2017

DOI

https://doi.org/10.34619/l02e-j9il

Citar este artigo

Nicolau, Mariana e Sandra Osório da Silva. "João Carlos Ribeiro", in eViterbo. Lisboa: CHAM - Centro de Humanidades, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2022. (última modificação: 11/07/2024). Consultado a 23 de julho de 2024, em https://eviterbo.fcsh.unl.pt/wiki/Jo%C3%A3o_Carlos_Ribeiro. DOI: https://doi.org/10.34619/l02e-j9il